João Pessoa
Feed de Notícias

Emater orienta agricultores de Sumé sobre alternativa para produção de ração animal

terça-feira, 11 de agosto de 2015 - 16:44 - Fotos: 

Buscando alternativa alimentar para o rebanho em período de estiagem, o escritório da Emater em Sumé está orientando agricultores familiares na produção da leguminosa Cunhã consorciada com milho, na comunidade Poço de Pedra, já apresentando resultados satisfatórios. A proposta é levar essa tecnologia para outros criadores.

Afora as diversas tecnologias desenvolvidas pelo Governo do Estado, por meio da Emepa, empresa de pesquisa integrante da Gestão Unificada Emepa/Interpa/Emater (GU), vinculada à Secretaria de Desenvolvimento da Agropecuária e da Pesca (Sedap), este trabalho junto aos agricultores vai permitir contar com suplemento alimentar para o rebanho. Com esta leguminosa é possível fazer o armazenamento utilizando o sistema de silo para a ração animal durante a seca, daí sua importância neste período.

Como a região do Cariri é propicia a pecuária leiteira, especialmente a caprina, na última sexta-feira (7), o veterinário Carlos Romero Martins, da Emater, se reuniu com produtores de leite que fazem parte do Contrato 178/2013 – Chamada da Cadeia Produtiva do Leite de Cabra, residentes nas Comunidades Poço da Pedra, Tigre, Abertas e Terra Vermelha, no município de Sumé, para conhecer um campo de plantação de Cunhã consorciada com milho na comunidade Poço Pedra, do produtor de leite Josemar Silva Batista, com o acompanhamento do trabalho pelo coordenador regional Walmir Azevedo.

Na ocasião, todos tomaram conhecimento da importância desta leguminosa como fonte protéica para alimentação de cabras leiteiras. Segundo Carlos Martins, a Cunhã como forragem substitui com vantagem uma boa parcela dos concentrados, proporcionando ao mesmo tempo uma redução de custos na compra de concentrados, trazendo melhoria na sanidade e na fertilidade devido, principalmente, a sua grande riqueza em nutrientes como valor protéico.

Segundo o técnico, a Cunhã tem ainda a vantagem de ser uma cultura de clima tropical, portanto mais adaptada às nossas condições climáticas, enquanto que a alfafa, por exemplo, é planta de clima temperado. Sua origem é da Ásia, tendo se adaptado muito bem ao clima e ao solo do semiárido nordestino, pois se desenvolve em uma faixa de precipitações entre 400 a 500 milímetros, portanto, não tolerando encharcamento.

Os criadores que compareceram à Comunidade Poço Pedra tomaram conhecimento sobre todo o processo de cultivo desta leguminosa, ficando satisfeitos com seu rendimento e alta produtividade de feno, com uma colheita de 24 toneladas por hectare, em seis cortes anuais. O plantio pode ser feito em consórcio com capim elefante, com milho, com sorgo ou em plantio isolado. Na ocasião, foi observada a formulação de ração concentrada com baixo custo e que contém um teor protéico em torno de 14%.