Fale Conosco

17 de fevereiro de 2012

Emater organiza agricultores familiares e indígenas para comercializar ao PAA e Pnae



A Emater Paraíba e outros parceiros do município de Baía da Traição começaram a integrar os agricultores familiares e indígenas ao Programa Nacional Alimentação Escolar (Pnae) e ao Programa de Aquisição de Alimentos (PAA), o que vai garantir a comercialização de seus produtos agrícolas e uma renda mensal. A primeira reunião aconteceu na quarta-feira (15), na Aldeia Forte, com a participação dos integrantes do Conselho Municipal do Desenvolvimento Rural Sustentável, do Cooperar, do Conselho Indígena Potiguar, da Prefeitura Municipal e da Universidade Federal da Paraíba (UFPB).

Durante a reunião, foi elaborado o cadastro de produtores interessados em fornecer sua produção agrícola para o PAA ou Pnae. Segundo cálculos do chefe do escritório de Baía da Traição, o engenheiro de pesca Elton Cunha, o agricultor familiar participante destes programas de comercialização poderá ter um renda mensal correspondente de até dois salários mínimos.

Também foi debatido o fortalecimento das parcerias entre as instituições e os conselhos comunitários, as estratégias de comercialização para a agricultura familiar no Pnae e PAA, a emissão das Declarações de Aptidões de Propriedades (DAPs), e projetos produtivos.

Segundo o cacique geral da Paraíba e assessor estadual para assuntos indígenas, Sandro Gomes, o diálogo entre as instituições que trabalham os conselhos, agricultores familiares, indígenas e pescadores é importante, para que cada um faça sua parte e possa ajudar a outra naquilo que puder. “Tudo isso será em benefício dos pequenos agricultores”, disse.