Fale Conosco

8 de fevereiro de 2013

Emater faz planejamento da produção de agricultores familiares indígenas



O Governo do Estado, por intermédio da Emater Paraíba, está realizando o planejamento e mapeamento da produção agrícola das aldeias dos índios potiguaras da Baia da Traição. A iniciativa visa possibilitar o acesso aos mercados consumidores, sejam institucionais, como o Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE), Programa de Aquisição de Alimentos (PAA), ou para abastecer os estabelecimentos comerciais e feiras livres em municípios da região. Até o momento, foram atendidos 60 produtores nesta ação nas aldeias de Santa Rita, Tracoeira, Lagoa do Mato, Cumaru, São Francisco e Galego, através da parceria com a prefeitura municipal.

Segundo o gerente local da Emater, Elton Cunha, o trabalho é fundamental para o desenvolvimento sustentável dos índios potiguaras, pois o mapeamento permite qualificar o atendimento dos órgãos estaduais, municipais e federais, além de assistência técnica, para possibilitar uma programação da produção, primeiramente para atender a segurança alimentar da própria população e os excedentes comercializados nas feiras livres, e também através dos programas governamentais da merenda escolar e de aquisição de alimentos. “Desta forma, gera renda e qualidade de vida nas aldeias, o que estimula a permanência do povo Potiguara e fortalece sua cultura”, disse.

Segundo Ronaldo Chaves, representante da prefeitura, quem ganha com esta parceria com a Emater é toda a população da Baia da Traição, que terá na mesa mais produtos de qualidade produzidos pelos indígenas. Além disso, está sendo feita uma radiografia atualizada da agricultura do município, o que permite que todas as ações, como corte de terras e distribuição de sementes, sejam feitas de forma planejada para atender com qualidade a população.

O cacique da Aldeia São Francisco (Aldeia Mãe), Alcides Acioli, disse que pela primeira vez na história da comunidade, órgãos do governo estão trabalhando unidos pelo povo potiguara. “Fico muito feliz porque a Emater e a prefeitura estão dentro da aldeia trazendo coisas boas para o meu povo”, afirmou.

Segundo Elton Cunha, nestas reuniões é feita ainda a divulgação de diversas políticas públicas como o Pronaf, emissão da DAP, PAA e PNAE. “Desta forma, espera-se levar a informação a esta população tão importante historicamente, porém extremamente carente, para que ao longo do tempo possam acessar as diversas políticas de direito”. Ele informou que o trabalho continuará após o carnaval, até atender todas as aldeias da Baia da Traição.