João Pessoa
Feed de Notícias

Emater e agricultores de Rio Tinto comemoram fundação do Conselho de Desenvolvimento Rural Sustentável

quinta-feira, 3 de agosto de 2017 - 17:21 - Fotos:  Divulgação

Mais de 200 pessoas, entre agricultores familiares, extensionistas e autoridades prestigiaram nessa quarta-feira (3), em Rio Tinto, as comemorações de 20 anos da instalação do Conselho do Municipal de Desenvolvimento Rural Sustentável (CMDRS) e o Dia do Agricultor, celebrado em todo o País, na sexta-feira (28). Iniciado com um café da manhã, o evento aconteceu no Ginásio de Esporte o Almirzão e contou com uma série de atividades como a apresentação do grupo de Mulheres da Praia de Campina, desfile com apresentação do projeto de Mulheres das Águas de Salema,  homenagens aos ex-presidentes dos CMDRS, sorteio e distribuição de brindes, entre outras ações.

Segundo a coordenadora da região administrativa da Emater/ João Pessoa, Keila Leal, ao longo de 20 anos de atuação do CMDRS, os agricultores obtiveram várias conquistas, dentre elas a criação e instalação da Secretaria Municipal de Agricultura, aprovação de projetos importantes, de abastecimento  d’água em diversas comunidades rurais, do PAA/Conab, de desocupação de áreas para plantio de lavouras de subsistência, de implantação de casas de farinha, de distribuição de cestas básicas em campanhas de Natal sem fome, de aquisição de veículos, entre outros benefícios.  Ela lembrou que só na região de João Pessoa, que congrega 22 municípios, são 22 Conselhos, ou seja, um por município. Em Rio Tinto, CMDRS é composto por quatro órgãos: Prefeitura Municipal, Emater, Câmara de Vereadores, Sindicato dos Trabalhadores Rurais, além de 19 associações.

Organização Rural – A organização rural, atividade que  viabiliza ação participativa nos trabalhos da Emater, vem crescendo consideravelmente nos últimos anos.  Segundo a chefe do Núcleo de Extensão Social (Nueso), Zilda Abrantes, foi a maneira encontrada pela empresa para incentivar o agricultor a permanecer no campo e participar dos programas governamentais, fazendo valer os seus direitos e reivindicações perante as autoridades. “É por meio da organização que o agricultor tem o poder de competir e oferecer produtos de qualidade e com preços compatíveis com o mercado consumidor”, disse, acrescentando que o CMDRS tem um papel muito importante no desenvolvimento dos municípios.

Zilda informou que o nível de organização rural da Emater cresceu bastante, e hoje conta com 235 CMDRS assessorados com 2. 922 associações constituintes e 35.936 participantes em todo o Estado, com acesso aos programas e políticas públicas voltadas para a agricultura familiar.  Também contam com 85 grupos informais de mulheres rurais com 1.268 participantes; 39 grupos de jovens rurais com 1.585 associados e 98 grupos de produção com 801 famílias envolvidas, além de inúmeros sindicatos rurais, cooperativas e agroindústrias espalhados em todo o Estado.

A chefe do Nueso da Emater avalia que, com a organização de agricultores, jovens e mulheres rurais, seja por meio de associações, sindicatos, cooperativas ou CMDRS, percebe-se que as famílias agricultoras têm mais possibilidade de sensibilizar órgãos e governos para o atendimento de suas demandas. “Além disso, conseguem minimizar custos e potencializar lucros com maior poder de mobilização e reivindicação”, finalizou.