Fale Conosco

5 de outubro de 2011

Emater discute fortalecimento da cultura do coco anão em Sousa



O fortalecimento da cultura do coco anão no município de Sousa, Sertão Paraibano, foi o assunto principal da reunião realizada na terça-feira (4) com extensionistas da Emater Paraíba, empresa vinculada à Secretaria do Desenvolvimento Agropecuário e da Pesca, num trabalho de parceria com o Fórum de Fruticultura do Vale do Piranhas. Participaram do evento 240 agricultores familiares das comunidades do Núcleo Habitacional II e do Perímetro Irrigado de São Gonçalo e do Perímetro Irrigado Várzeas de Sousa.

No encontro com colonos, empresários do setor de exportação e produtores de coco, os técnicos da Emater Paraíba falaram sobre o plantio e manejo da cultura do coco anão, destacando o manejo e controle das pragas mais comuns identificadas na região como Broca-do-Olho-do-Coqueiro, Ácaro-de-Necrose–do-Fruto, Mosca Branca, entre outras.

O coordenador regional da Emater na cidade de Sousa, Francisco de Assis Bernardino, destacou o trabalho realizado para a expansão desta cultura, considerada de maior relevância na região, e também falou sobre os 56 anos de fundação da extensão rural na Paraíba, comemorados na última sexta-feira (30), focalizando a atuação da empresa na região do Vale do Piranhas.

Na Paraíba – O extensionista rural que assessora a produção de coco em nível de Paraíba, Henrique Paz de Oliveira, informou que a cultura do coqueiro tem se destacado em todo Estado, principalmente na região de Sousa, onde tradicionalmente é cultivado o coqueiro anão, com uma área estimada de 1.600 hectares e uma produção de 36 milhões de frutos por ano.

Outro ponto destacado por Henrique Paz é o volume de recursos injetados na economia da região que ultrapassa a cifra de R$ 10,8 milhões anuais. Ele lembrou que a produção se destina, basicamente, para o mercado do Sul e Sudeste do País. A região Nordeste também é consumidora do coco produzido em Sousa.