Fale Conosco

4 de maio de 2018

Emater apoia projeto garante economia de 90% de água na produção de peixe e hortaliças



AquaponiaUm projeto de produção integrada de peixe e hortaliças no Sítio Gabriela, no município de Quixaba, possibilita a economia de até 90% de água e um alto aproveitamento de resíduos orgânicos. Trata-se do projeto de extensão “Aquaponia na Agricultura Familiar”, desenvolvido pelo Instituto Federal da Paraíba (IFPB), que recebe o apoio de extensionistas da região da Emater, em Patos. A iniciativa será difundida entre os produtores da região.

O grupo de extensionistas da Emater, formado pelas técnicas Maria Estela, Celiane Damasceno, Conceição Ramos, Maria do Socorro Cruz Medeiros e Maria do Carmo, afirmaram que se trata de um projeto viável e com retorno financeiro aos investimentos. “Com isso, a Emater deve realizar um trabalho de divulgação do projeto Aquaponia na Agricultura Familiar junto aos agricultores, sob a coordenação do chefe do Escritório Regional da Emater- em Patos, Chico Acácio”, informaram.

O projeto de extensão Aquaponia na Agricultura Familiar é coordenado pelo técnico em Tecnologia da Informação do Instituto, Leonardo Navarro; que tem utilizado tecnologias apropriadas ao contexto local para proporcionar o incremento do setor produtivo com uma agricultura saudável. Desse modo, contribui para o desenvolvimento regional; permitindo, com isso, a inclusão de agricultores familiares em um sistema de produção moderno e eficiente.

Aquaponia – É um sistema de cultivo que une cultivo de peixes com Hidroponia (cultivo de plantas sem o uso de solo, com as raízes submersas na água). A iniciativa proporciona um sistema integrado de produção de peixes e plantas, com recirculação de água. Apesar de pouco difundida. A Aquaponia garante uma redução do consumo de água de até 90 por cento em comparação aos sistemas de aquiculturas convencionais, além de contribuir para o aproveitamento dos resíduos orgânicos gerados.

Com isso, explica Leonardo Navarro, trata-se de uma alternativa de produção de peixes e vegetais menos impactantes ao meio ambiente, representando um modo novo de sistema de atividades agrícolas no sertão, com responsabilidade no uso de recursos hídricos.

No segundo ano de implantado, o projeto de Quixaba servirá para auxiliar os agricultores de pequenas propriedades rurais, traduzindo os conhecimentos científicos em uma linguagem simples, adequada à realidade do público alvo, ajudando com isso na disseminação de soluções sustentáveis de baixo custo.