João Pessoa
Feed de Notícias

Emater adquire nova variedade de abacaxi resistente a fusariose

quinta-feira, 28 de janeiro de 2010 - 15:27 - Fotos: 

A Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural da Paraíba (Emater-PB) recebeu na manhã desta quinta-feira (28), em sua sede na Estrada de Cabedelo, 60 mil mudas de abacaxi da variedade Vitória, resistente a fusariose, principal doença que ataca a cultura e causa em média 30% a 40% de perdas na produção dos frutos e aproximadamente 20% das mudas. A aquisição das mudas foi realizada através de um convênio com o Ministério do Desenvolvimento Agrário e será entregue pela empresa e Secretaria de Estado do Desenvolvimento da Agropecuária e da Pesca (Sedap) até 2012, com os produtores da agricultura familiar que residem em áreas de assentamentos.

De acordo com o assessor estadual da cultura do abacaxi da Emater-PB, Leôncio da Costa Vilar, por determinação do Governo do Estado, a Paraíba deve continuar sendo destaque na produção nacional do abacaxi quando alcançou no ano passado o primeiro lugar com 263 milhões de frutos. “A variedade Vitória é uma alternativa para diminuir os índices de perdas na variedade Pérola, cultivada atualmente pelos municípios paraibanos, ocasionadas pela fusariose”, lembrou.

O presidente da Emater-PB, Hermano Araújo informou que o ciclo de reprodução de mudas de abacaxi, demora em média dois anos. Neste período, elas passarão por um processo de tratos culturais e com isso será possível chegar a produção de 300 mil mudas que dará para ser plantadas em 10 hectares. “Depois disso, a Emater e as instituições financeiras firmarão uma parceria para incentivar a produção de abacaxi na Paraíba. A empresa terá o papel de selecionar os agricultores que serão assistidos e beneficiados com as mudas”, destacou.

Mais qualidade para o mercado

Leôncio disse que além de ser mais produtivo, a nova variedade importada pela Paraíba tem mais qualidade para o mercado. Ele adiantou que seu porte se assemelha ao Pérola e Smooth Cayenne, usadas como referências, além de não possuir espinhos nas folhas, facilitando os tratos culturais. Já os frutos são cilíndricos, possuem cor amarelada e quando maduros tem elevado teor de açucares proporcionando uma fruta de excelente aceitação no mercado. “Com a resistência a fusariose e a redução de aplicação de fungicidas, os tratos culturais ficam mais baratos e contribuem para a preservação do meio ambiente”, destacou.

Os trabalhos de aprimoramento da variedade Vitória tiveram origem em três híbridos provenientes da Embrapa Mandioca e Fruticultura Tropical em Cruz das Almas-BA e foram introduzidas nas Fazendas Experimentais do Instituto Capixaba de Pesquisa, Assistência Técnica e Extensão Rural (Incaper).

Da Assessoria de Imprensa da Emater-PB