Fale Conosco

22 de outubro de 2011

Em semana de aniversário, Codata apresenta exposição de artista plástico paraibano



“Reciclos: Um caminho de transformação”. O título da exposição, que estará aberta ao público a partir da próxima terça-feira (25), na sede da Companhia de Processamento de Dados (Codata), revela a preocupação do artista plástico paraibano Elionai Gomes e a busca pela conscientização da sociedade em relação à responsabilidade sobre o lixo que produzimos e ao seu respectivo destino. A exposição está inserida na programação de atividades em comemoração aos 35 anos da Codata, celebrados no próximo dia 29.

O envolvimento do artista, natural de João Pessoa, com materiais orgânicos e inorgânicos, principalmente no âmbito dos resíduos eletrônicos, na realização de muitas de suas obras, relaciona-se harmoniosamente com a iniciativa do Governo do Estado, por meio da Codata, no incentivo ao descarte responsável do chamado lixo eletrônico, e sua conseqüente reciclagem, evidenciada pela recente parceria com empresa do segmento.

O presidente da Codata, George Henriques, acredita que, em concomitância com a velocidade dos avanços tecnológicos e da modernização dos equipamentos, devemos ter urgência na adoção de uma postura mais responsável quanto à destinação do lixo que produzimos e reavaliar nosso comportamento em relação às aquisições que fazemos. “A modernização é uma premissa para evolução e eficácia dos serviços que prestamos e das tarefas que realizamos em nosso dia-a-dia, inclusive como cidadãos comuns. Contudo, precisamos pensar em outras possibilidades de uso para os equipamentos descartados, como por exemplo, encaminhá-los para a caridade ou até para amigos e familiares que possam encontrar utilidade para os mesmos”, declarou.

O gestor lembra que esta mudança de postura deve acontecer não só na destinação do lixo eletrônico, mas já no momento da aquisição dos equipamentos. “A qualidade do produto vai influenciar diretamente na sua durabilidade. Quanto maior for sua vida útil, mais tempo demoramos em substituí-lo, diminuindo a produção de lixo eletrônico e, consequentemente, favorecendo a preservação do meio-ambiente.”

A lógica do pensamento é compartilhada pelo artista plástico Elionai Gomes, no Projeto “Reciclos”, que dá título à exposição e que se estende com a realização de oficinas educativas em comunidades, escolas e festivais. “Procurei traduzir neste projeto o sentido de despertar nos seres a força transformadora que há em cada um, mostrando que o acúmulo do lixo externo reflete instantaneamente o estado interior que se encontra em cada um. É necessário ver a reciclagem como um caminho para a transformação de si mesmo. Renovar, reciclar, aproveitar e transformar os mais diversos resíduos, à procura de novos usos e significados”.

A exposição conta com 20 obras, elaboradas em técnica mista sobre suporte de MDF, que reúnem fragmentos de milhares de objetos, resíduos eletrônicos e embalagens descartáveis que estariam no lixo e foram transformados em arte, sob a forma de mandalas e totens com diversificadas expressões.

Elioenai Gomes – O artista plástico, natural de João pessoa, teve formação na Escola Panamericana de Artes, em São Paulo. Já realizou mais de 60 exposições individuais e teve participação em outras 18 exposições coletivas por vários estados brasileiros e até no exterior. Atuou na produção de cenários e figurinos, mas atualmente desenvolve pesquisa com materiais orgânicos e inorgânicos diversificados sobre suportes variados buscando conscientizar as pessoas sobre a urgente necessidade de mudanças de atitudes quanto à questão da preservação do planeta e a responsabilidade sobre o lixo. É Gestor Cultural do Ateliê Multicultural Elioenai Gomes, localizado no Varadouro, e coordenador do RAIZES – Grupo de Danças e Ritmos Afro Indígenas.

Fomentação da Cultura – De acordo com o presidente da Codata, George Henriques, a exposição “Reciclos: Um caminho de transformação” estreia um espaço que permanecerá aberto para abrigar outras exposições e mostras de arte. “Queremos aproveitar nossa localização, tão próximo do Centro Histórico da capital, e já naturalmente celeiro da arte na cidade, para contribuirmos com a fomentação da cultura local. Assim, nosso hall, continuará aberto, de forma periódica, para a exposição de outros artistas paraibanos”.

Serviço
Exposição: Reciclos – um caminho de transformação
Local: Hall da sede da Codata (Varadouro)
Período: 25 de outubro a 15 de novembro de 2011
Horário: 8h às 18h (segunda à sexta-feira)
Descrição: 20 obras (reciclados sólidos sobre suportes variados pintados com tinta automotiva)