João Pessoa
Feed de Notícias

Em nove meses, taxa de homicídios sofre redução de 7,1% na PB

terça-feira, 16 de outubro de 2012 - 17:36 - Fotos: 

Os Crimes Violentos Letais Intencionais (CVLI) registraram uma redução de 7,1% no período de janeiro a setembro de 2012 em relação ao mesmo período de 2011, segundo dados do Núcleo de Análise Criminal e Estatística (Nace) da Secretaria da Segurança e da Defesa Social (Seds). Enquanto no ano passado ocorreram 1.233 crimes desse tipo, este ano foram 1.146. São considerados CVLI os homicídios dolosos e qualquer outro crime doloso que resulte em morte.

O levantamento do Nace ainda aponta que, no comparativo do 3º trimestre dos dois anos, houve uma queda de 8,5% de CVLI, com 390 homicídios ocorridos na Paraíba nos meses de julho, agosto e setembro de 2011 contra 357 registrados no mesmo período de 2012. Os 2º e 3º trimestres deste ano, com a ocorrência de 344 e 357 homicídios em todo o Estado, respectivamente, representam os menores números aferidos a cada três meses desde o fim de 2009.

Para o secretário da Seds, Cláudio Lima, a manutenção da queda de CVLI nos 223 municípios paraibanos reflete o empenho das Polícias Civil e Militar e do Corpo de Bombeiros no cumprimento do Planejamento Operacional 2012-2013. “O nosso trabalho é encarado como um desafio de todos os dias, por isso realizamos reuniões de monitoramento semanais e investimos na integração dos órgãos operativos, além da criação de um setor específico para aferição dos números referentes à violência no Estado, o Nace”, destacou.

Cláudio Lima ainda lembrou que de janeiro a setembro deste ano, em 84 cidades da Paraíba não houve sequer um homicídio.

Nos municípios – De janeiro a setembro de 2012, foram contabilizados 599 CVLI nas cidades da Grande João Pessoa, que compreende a Capital e os municípios de Bayeux, Santa Rita e Cabedelo, o que representa 46 homicídios a menos em relação ao mesmo período do ano passado, quando foram registrados 645 crimes. A maior redução aconteceu em João Pessoa, onde foram contabilizados 398 homicídios este ano contra 446 em 2011, o que equivale a uma queda de 10,8%.

Em Campina Grande, a redução se mantém ainda maior. De acordo com o Nace, o número de  CVLI registrados nos nove primeiros meses deste ano foi 16,2% menor em relação ao mesmo período de 2011. Ocorreram 112 crimes nos três trimestres deste ano contra 136 CVLI registrados em igual período de 2011.

Outras cidades que se destacam no Estado com redução de homicídios são Sapé, com 52,2%; Catolé do Rocha, com 68%; Queimadas, que reduziu os CVLI em 50%; Itabaiana, com 87,5%. Todos os números de crimes violentos letais intencionais registrados nas cidades paraibanas estão disponíveis na página do Governo do Estado (www.paraiba.pb.gov.br), por meio do link do movimento Paraíba Unida pela Paz.

Outros crimes – O Nace também apontou uma quantidade menor de crimes patrimoniais em João Pessoa no comparativo entre o 3º trimestre dos anos de 2011 e 2012. Este ano foram registrados 1.181 casos desse tipo de crime, 462 casos a menos que no ano anterior, quando foram contabilizados 1.643 crimes violentos patrimoniais no período.

Ao mesmo tempo em que os crimes patrimoniais diminuíram este ano, a apreensão de armas aumentou. De janeiro a setembro do ano passado, as Polícias Civil e Militar apreenderam 1.613 armas de fogo, enquanto que este ano o número contabilizado até setembro foi 2.117. “Um aumento de 31,2%, com 504 armas a mais apreendidas, entre revólveres, pistolas e espingardas, por exemplo”, frisa Cláudio Lima.

Para incentivar ainda mais a apreensão de armas de fogo, o Governo do Estado publicou a Lei estadual 9.708, de junho deste ano, que dispõe sobre a bonificação por armas apreendidas para policiais civis e militares. O valor do benefício varia conforme o potencial lesivo da arma de fogo, as circunstâncias da apreensão e é acrescido na folha de pagamento do policial responsável pela apreensão.

A apreensão de drogas também aumentou em 2012. Em relação à maconha, foram apreendidos 404 quilos da droga, quase o dobro do que em 2011, com 204 quilos apreendidos. Um dos destaques foi a Operação Liberdade, que apreendeu mais de 100 quilos do entorpecente na Capital e foi iniciada no mês de agosto do corrente ano.