Fale Conosco

19 de outubro de 2017

Educação realiza formação para coordenadores e professores das Escolas Cidadãs Integrais Técnicas



O Governo do Estado, por meio da Secretaria de Estado da Educação (SEE), e em parceria com o Itaú-BBA, Instituto Natura, Instituto Sonho Grande e Instituto de Corresponsabilidade pela Educação (ICE), promove nesta semana, de 10 a 16 de outubro, o segundo ciclo da formação para 33 coordenadores pedagógicos, coordenadores de cursos técnicos e professores das Escolas Cidadãs Integrais Técnicas do Estado (ECIT). Os coordenadores e professores serão formadores para a implementação de um projeto piloto de articulação curricular do ensino propedêutico com o ensino técnico.

Após a realização da articulação curricular nas sete ECITs do Estado, foi verificado que as escolas técnicas tinham disciplinas eletivas iguais às das outras escolas cidadãs integrais. Neste contexto, foi criado um projeto piloto para implementar nas ECITs, como parte diversificada dessas escolas, incrementando o ensino com projetos empreendedores.

Após esta constatação, foram desenvolvidas três metodologias de teste onde a Escola Técnica de Bayeux está sendo a escola piloto para testar esses modelos. Para pensar esses três métodos, a equipe da SEE visitou sete indústrias da região, perguntando quais eram os maiores entreves que eles tinham na contratação de jovens, então sistematizando o resultado dessas sete visitas foram pensados três métodos, que estão relacionados com problemas reais que as empresas enfrentam ao contratar jovens para o mercado de trabalho.

Os métodos desenvolvidos têm o objetivo de garantir a autonomia e o protagonismo para o trabalho. Na empresa pedagógica o aluno vai entender a cadeia produtiva de uma empresa, vai ter contato e tentar solucionar problemas do dia a dia da empresa, para despertar competências como raciocínio lógico, responsabilidade, criatividade, capacidade de resolver problemas.

Para implantação dessa metodologia, estão sendo realizados três ciclos de formação. O primeiro aconteceu em julho, o segundo acontece agora em outubro e o terceiro acontecerá de 11 a 13 de dezembro. Cada ciclo tem formação em métodos de resolução de problemas e o STEM de Inovação Social, onde os professores e coordenadores demonstram a ciência por meio de reutilização de materiais e de reciclagem.

O objetivo desta formação é que os estudantes da Rede Estadual de Ensino da Paraíba não sejam formados só com o conhecimento técnico específico, mas que tenham um conhecimento multi, com capacidade de entender e interagir, além de ter um bom desempenho profissional em qualquer trabalho que for desenvolver.

A professora de Química Sayonara Araújo, da Escola Cidadã Integral Heliton Santana, de João Pessoa, contou como a formação vai auxiliar o uso do laboratório, mudando a forma como as aulas são ministradas. “Essa formação é de extrema importância porque percebemos que dá para fazer ciência com muito pouco, com materiais de baixo custo. A falta de materiais não é motivo para não desenvolver pesquisas ligadas à área técnica. Então aprendemos que com materiais de baixo custo a gente consegue articular a teoria com a prática. Sabemos que os laboratórios têm equipamentos de ponta, mas também dá para fazer muita coisa com materiais de baixo custo”, contou.

Escolas Cidadãs Integrais Técnicas – O modelo de Escola Cidadã Integral, implantado pelo Governo da Paraíba, atende aos planos estadual e nacional de Educação. O programa tem como foco a formação dos jovens por meio de um desenho curricular diferenciado e com metodologias específicas, que apresentam aos estudantes do Ensino Médio possibilidades de se sentirem integrantes do seu projeto de vida.

No caso das Escolas Cidadãs Integrais Técnicas, o modelo é parecido com o da Escola Cidadã Integral, mas tendo como diferencial os cursos técnicos, que visam à formação dos jovens para atuarem no mercado de trabalho. Ambas têm como foco proporcionar aos jovens se reconhecerem como protagonistas em seus locais de atuação.