Fale Conosco

22 de outubro de 2011

Educação participa do 8º Encontro Estadual dos Sem Terrinha



A Secretaria de Estado da Educação (SEE) participa, neste domingo (23), do 8º Encontro Estadual dos Sem Terrinha. O evento começa neste sábado (22), às 14h, e vai até a segunda-feira (24), no ginásio O Ronaldão, em João Pessoa. O encontro é promovido pelo Movimento dos Sem Terra na Paraíba (MST-PB) e contará com a participação de cerca de 600 crianças de todo o Estado.

No domingo, quatro escolas da rede estadual participarão do encontro para promover a interação entre as escolas da cidade e do campo. As escolas Nicodemos Neves (Funcionários I), Francisco Campos (Anatólia), Padre Cícero Romão (Mandacarú) e Almirante Tamandaré (Castelo Branco) levarão grupos de alunos, que  também participarão de oficinas pedagógicas.

“O tema do encontro será ‘Educação no Campo e Agricultura Familiar Camponesa’. Então como temos na Paraíba muitas escolas localizadas no campo, precisamos mostrar essas escolas e o que elas fazem”, destacou Hígia Margareth, da Gerência Operacional de Integração Escola Comunidade, da SEE.

Intercâmbio – No mês de setembro, 80 crianças das escolas da rede estadual de ensino Nicodemos Neves, Francisco Campos, Padre Cícero Romão e Almirante Tamandaré participaram de um intercâmbio, cujo objetivo foi promover uma troca de experiências entre as crianças que estudam na cidade e as que estudam no campo.

No dia 28 de setembro, alunos das escolas Almirante Tamandaré e Padre Cícero Romão receberam a visita dos alunos da escola Tiradentes, localizada no Assentamento Tiradentes, no município de Marí. No dia 29, foi a vez dos alunos das escolas Nicodemos Neves e Francisco Campos receberem a visita dos alunos da escola Zumbí dos Palmares, do Assentamento Zumbí dos Palmares, também do município de Marí. Anteriormente, os alunos das escolas de João Pessoa já haviam visitado as escolas dos assentamentos.

“Esse intercâmbio foi muito importante, pois as crianças aqui de João Pessoa saíram da sua realidade, passaram o dia nas escolas do campo, conheceram a realidade dessas crianças e suas escolas e, na semana seguinte, as escolas do campo trouxeram seus alunos e eles passaram o dia aqui e viram como vivem as crianças da cidade”, explicou Hígia Margareth.