Fale Conosco

17 de junho de 2009

Educação e consumo de bebida foram reponsáveis pela alta do IPC



O custo de vida do mês de maio subiu 0,17% em João Pessoa. O grupo serviços pessoais – educação e consumo de bebida – puxou a alta do Índice de Preços ao Consumidor (IPC) ao registrar um aumento de 3,61% no mês passado. Somente o subgrupo educação ficou 5,35% mais caro para o bolso do consumidor pessoense. Em 2009, o IPC apresenta um acúmulo de 2,06%. Nos últimos 12 meses, o indicador econômico chega a 10,11%. Os números foram divulgados nesta quarta-feira (17), pelo Instituto de Desenvolvimento Municipal e Estadual (Ideme).

Gastos com pagamento de mensalidades escolares, aulas preparatórias para vestibulares e concursos públicos e compra de material didático, entre outros custos educacionais, tiveram 5,35% de elevação de preço em maio. As despesas com educação lideram a subida do custo de vida referente ao grupo serviços pessoais. O consumo de bebidas alcoólicas e cigarros apresentou um acréscimo de 3,79% e contribuiu com a alta nessa categoria. Também registraram aumento no IPC de maio os seguintes grupos: Vestuário (2,82%), Transporte e Comunicação (1,85%) e Habitação (0,38%).

De acordo com o gerente do Departamento de Informações para o Planejamento do Ideme, Geraldo Lopes de Oliveira, o período de festividades juninas, que já começa em maio, impulsionou o aumento do indicador econômico no mês passado. “As pessoas compram mais roupas nas lojas em João Pessoa e viajam para o interior paraibano onde existem as festas da época. Associado a isso, também existe o consumo de bebidas alcoólicas em eventos de São João na Capital”, explicou.

No caso da educação, existe uma procura de estudantes por cursos preparatórios aos vestibulares e concursos públicos. “A recomendação é pesquisar os preços antes de pagar os serviços pessoais”, orienta Geraldo Lopes. Técnicos do Ideme ainda identificaram que os artigos para residência, como eletrodomésticos e móveis, tiveram queda de 4,23% nos preços.

A alimentação também ficou mais barata para o consumidor pessoense. O valor dos produtos alimentícios caiu 0,90%. “As chuvas começaram a diminuir na Paraíba e o inverno está se estabilizando. Isso reflete no custo das despesas com alimentos, que ficam mais baratos em função do aumento da oferta”, avalia o gerente. Gastos com saúde e cuidados pessoais estão estáveis.

Bartolomeu Honorato, da  Assessoria de Imprensa do Ideme