João Pessoa
Feed de Notícias

Educação de Jovens e Adultos da Paraíba é destaque no Nordeste

quarta-feira, 9 de abril de 2014 - 18:18 - Fotos: 

O Plano Estadual de Alfabetização “Ler, Entender e Fazer”, executado pela Secretaria de Estado da Educação (SEE), por meio da Gerência Executiva de Educação de Jovens e Adultos (Geeja), em parceria com o MEC/PBA/FNDE, foi considerado uma das melhores experiências desenvolvidas na área. Por isso, apenas a Paraíba e outro Estado do Nordeste receberam uma consultoria do Ministério da Educação (MEC), com o objetivo de conhecer melhor o trabalho desenvolvido e levá-lo como modelo para outros Estados da Federação.

A consultora do MEC/UNESCO, Silvanete Pereira, visitou a SEE nesta terça-feira (8) para conhecer o trabalho desenvolvido na alfabetização na Educação de Jovens e Adultos (EJA), como também a relação das ações da EJA com Alfabetização no Plano de Ações Articuladas (PAR).

A consultora elogiou o projeto desenvolvido na Paraíba, destacando o respeito que temos pelo trabalho com os movimentos sociais, dando autonomia para que eles possam trabalhar com uma metodologia adequada que atenda às necessidades de cada movimento, desenvolvendo práticas de alfabetização”, contou a gerente de Educação de Jovens e Adultos da SEE, Maria Oliveira. A SEE vem trabalhando juntos com movimentos como o Releja, Sal da Terra, Ministério da Pesca, MPA, MST, Movimento Indígena e o Interpa, entre outros.

Durante a visita da consultora à SEE foram discutidas diversas questões relacionadas à alfabetização, incluindo o encaminhamento dos alfabetizandos para a continuidade dos estudos na EJA, após o período do Ciclo da Alfabetização. “A SEE já vem garantindo o acesso desses alunos após a alfabetização em nossa rede de ensino. Após o período da alfabetização, os alfabetizadores e coordenadores de turmas já garantem a passagem dos alunos antes que as turmas se dispersem, pois entendemos que precisamos assegurar o acesso, permanência e qualidade à educação como direito à aprendizagem em qualquer momento da vida”, destacou Maria Oliveira.