Fale Conosco

14 de janeiro de 2016

Educação convoca movimentos sociais para Programa de Alfabetização e Educação de Jovens e Adultos



A Secretaria de Estado da Educação da Paraíba está convocando coordenadores ou responsáveis pelos movimentos sociais e instituições para apresentação das demandas de alfabetização para o Programa de Alfabetização de Educação de Jovens e Adultos– Paraíba Alfabetizada. O edital foi publicado no Diário Oficial do Estado (DOE) desta quinta-feira (14).

De acordo com o documento, os interessados deverão apresentar à Gerência Executiva de Educação de Jovens e Adultos (GEEJA), até o próximo dia 29 de janeiro, um Plano de Trabalho com critérios de seleção dos alfabetizadores e coordenadores e com a demanda para alfabetização, com vista à assinatura do termo de parceria. Os cadastros deverão ser entregues na Gerência de Educação de Jovens e Adultos – Geeja, no Centro Administrativo, Bloco I, 4º andar, em Jaguaribe, no horário das 8h às 11h30 e das 13h30 às 16h. O resultado da análise do Plano de Trabalho será divulgado no dia 15 de fevereiro e a assinatura do Termo de Parceria acontecerá no dia 19 de fevereiro.

Para seleção dos alfabetizadores populares, os movimentos deverão levar em consideração os seguintes requisitos: ser brasileiro, nato ou naturalizado, ou cidadão português, amparado pelo estatuto de igualdade de direitos; possuir no mínimo 18 anos de idade; não estar exercendo cargo público eletivo; ter, no mínimo, formação de nível médio completo ou estar concluindo, ter disponibilidade de, no mínimo, 10 horas semanais para desenvolver a função e ter disponibilidade para participar da Formação Inicial (uma semana) e Formação Continuada durante o Programa (um encontro de 8 horas uma vez por mês).

Já para seleção de coordenador voluntário de turma, os critérios de nacionalidade e idade são os mesmos, acrescentando ter formação em nível superior em Educação, já concluído ou em curso; ter conhecimento básico de informática/Internet que permita acessar o Sistema Brasil Alfabetizado (SBA); ter disponibilidade de, no mínimo, 15 horas semanais para desenvolver a função; ser capaz de realizar um acompanhamento sistemático ao trabalho em desenvolvimento nas turmas e de desempenhar todas as atividades descritas para os coordenadores de turmas no Manual Operacional do Programa Brasil Alfabetizado (disponível em www.mec.gov.br) e, por fim, e) ser capaz de acessar o SBA para prestar as informações solicitadas referentes às turmas sob sua supervisão e aos respectivos alfabetizandos, inclusive registrando os resultados dos testes cognitivos de entrada e de saída.

O número de vagas determinadas para cada movimento ou instituição é o seguinte:

Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terras (MST)– 250 turmas, 250 Alfabetizadores e 36 Coordenadores;

Projeto Rede de Letramentos de Jovens e Adultos da Paraíba (RELEJA)– 80 Turmas, 80 Alfabetizadores e 11 Coordenadores;

Pescando Letras– 700 Turmas, 700 Alfabetizadores e 100 Coordenadores;

Ciganos– 46 Turmas, 46 Alfabetizadores e 7 coordenadores;

Indígenas– 300 Turmas, 300 Alfabetizadores e 43 Coordenadores;

Projeto Sal da Terra– 30 Turmas, 30 Alfabetizadores e 4 Coordenadores;

Movimento de Pequenos Agricultores (MPA)– 26 Turmas, 26 Alfabetizadores e 4 Coordenadores;

Quilombolas– 30 Turmas, 30 Alfabetizadores e 4 Coordenadores;

Sindicato dos Produtores Rurais de Alagoa Grande– 40 Turmas, 40 Alfabetizadores e 6 Coordenadores;

Movimento dos Atingidos por Barragem (MAB)– 30 Turmas, 30 Alfabetizadores e 4 Coordenadores;

Centro Social de Educação e Cultura da Paraíba- Santa Rita–  20 Turmas, 20 Alfabetizadores e 3 Coordenadores;

Igrejas– 20 Turmas, 20 Alfabetizadores  e 3 Coordenadores;

Instituto Penha/Margarida de Alagoa Grande (IPEMA)– 40 Turmas, 40 Alfabetizadores e 6 Coordenadores;

Instituto de Terras e Planejamento Agrícola do Estado (INTERPA)- 40 Turmas, 40 Alfabetizadores e 6 Coordenadores;

Departamento Estadual de Trânsito (DETRAN)– 8 Turmas, 8 Alfabetizadores e 1 Coordenador;

Assossociação das Prostitutas da Paraíba (APROS)– 23 Turmas, 23 Alfabetizadores e 3 Coordenadores e

Secretaria de Segurança Alimentar e Economia Solidária– 35 Turmas, 35 Alfabetizadores e 6 Coordenadores.