João Pessoa
Feed de Notícias

Dramaturgo paulista faz palestra sobre Bertolt Brecht, na UEPB

quarta-feira, 25 de novembro de 2009 - 20:51 - Fotos: 

O auditório da Faculdade de Administração, no Campus I da Universidade Estadual da Paraíba (UEPB), será palco de uma palestra com o dramaturgo e ensaísta paulista Márcio Marciano, fundador do Coletivo de Teatro Alfenim, procedente de João Pessoa. O convidado discorrerá sobre a metodologia teatral do conhecido dramaturgo e poeta alemão Bertolt Brecht (1898-1956), nesta quinta-feira, (26), às 15h. A Faculdade de Administração da UEPB localiza-se na Rua Getúlio Vargas, 44, Centro, Campina Grande.

A palestra será realizada dentro da programação do II Festival Atos de Teatro Universitário, que acontece até esta quinta-feira no cine-teatro do Sesc-Centro, em Campina Grande. Na ocasião, haverá o lançamento do projeto ‘Dramaturgia no Cuca’, realizado pelo Centro Universitário de Cultura e Arte de Campina Grande (Cuca/CG), em parceria com a professora do Departamento de Arte e Mídia da Universidade Federal de Campina Grande (UFCG), Eliane Lisboa. Segundo o aluno de Comunicação Social da UEPB e integrante do Cuca, Marcos Moraes, atualmente o Centro é formado majoritariamente por alunos de diversos cursos da instituição estadual.

O projeto ‘Dramaturgia no Cuca’ foi aprovado no edital ‘Interações Estéticas’ do Ministério da Cultura (MinC) e têm duração de três meses, visando à realização de um curso de dramatização no Cuca, com enfoque na prática teatral de Bertolt Brecht e Augusto Boal. (1931-2009). A metodologia contará com seminários e palestras, práticas de jogos e exercícios teatrais, culminando com a montagem de algumas cenas.

O dramaturgo – Eugen Berthold Friedrich Brecht é um dos autores alemães mais importantes do século XX, especialmente nas suas facetas de dramaturgo e de poeta. De formação marxista, Bertolt Brecht (seu nome artístico) dava grande importância à dimensão pedagógica das suas obras de teatro: contrário à passividade do espectador, sua intenção era formar e estimular o pensamento crítico do público. Para isso, servia-se de efeitos de distanciamento, como máscaras, entreatos musicais ou painéis nos quais se comentava a ação. Brecht expôs em escritos de caráter teórico e encenações modelares essa nova forma de entender o teatro.

Experiência teatral – Márcio Marciano possui experiência de dez anos na Companhia do Latão, de São Paulo, da qual foi um dos fundadores. Dando continuidade ao processo de pesquisa para a criação de uma dramaturgia própria sobre assuntos brasileiros, ele reuniu três gerações de atores paraibanos e formou o Coletivo de Teatro Alfenim.

Formado em 2007, em João Pessoa, o grupo participou, com o seu primeiro espetáculo – ‘Quebra Quilos’ – de alguns dos principais festivais e mostras de teatro do Nordeste, como a Mostra Sesc de Teatro do Cariri, o Festival de Inverno de Garanhuns e o Festival do Teatro Nacional de Recife, além de realizar temporadas no Teatro da Caixa Cultural de Brasília e Rio de Janeiro. Em maio de 2009, representou a Paraíba na Mostra Latino Americana de Teatro de Grupo, realizada em São Paulo pela Cooperativa Paulista de Teatro.

O público alvo do projeto é focado nos núcleos de Teatro do Oprimido (T.O.) de Campina Grande, agentes multiplicadores e estudantes que queiram se aprofundar no estudo das técnicas de dramaturgia de Brecht e Boal.

 

Da Assessoria de Imprensa da UEPB