João Pessoa
Feed de Notícias

Docentes da UEPB fazem seminários sobre genética para técnicos do PSF

quarta-feira, 3 de fevereiro de 2010 - 18:12 - Fotos: 

Com a finalidade de divulgar a ciência e agregar profissionais à pesquisa sobre genética, professores do Departamento de Biologia da UEPB realizarão, de março a agosto deste ano, uma série de seminários e oficinas para profissionais que atuam nos programas de Saúde da Família (PSF) e de Agentes Comunitários da Saúde (PACS). Os seminários acontecerão no auditório do Hemocentro Regional, localizado no Bairro do Catolé, em Campina Grande, e o primeiro está marcado para o dia 3 de março.

O conteúdo será ministrado pelos professores Silvana Santos e Mathias Weller e sua equipe de pesquisadores. Essas atividades estão inseridas em um programa de pesquisa cuja finalidade é a descrição da prevalência de deficiências causadas por doenças genéticas que acometem populações da Paraíba.

A professora Silvana Santos comenta que as doenças genéticas são transmitidas ao longo das gerações e, por isso, a produção de conhecimento científico a respeito da prevalência dessas doenças pode contribuir significativamente para planejamento de ações e políticas públicas voltadas ao diagnóstico precoce, orientação adequada sobre prognóstico, reabilitação e acesso das famílias ao aconselhamento genético.

Adesão – Durante o I Seminário ‘Genética para Profissionais da Saúde’, será aberta aos municípios a inscrição para adesão ao programa de pesquisa sobre consanguinidade e deficiência. Para os profissionais que aderirem ao projeto de pesquisa e extensão, serão certificadas 150 horas relativas às aulas teóricas, destinadas ao desenvolvimento do projeto.

Silvana Santos afirma que é fundamental que as secretarias de saúde ofereçam condições para participação de pelo menos um de seus enfermeiros nos eventos. Todos os seminários ocorrerão no horário de 8h às 11h, nos dias 3 de março, 8 de abril e 11 de agosto.

Pesquisa – O projeto intitulado ‘Genética no Sertão’ foi iniciado recentemente no interior do Estado da Paraíba, precedido por uma experiência semelhante no Rio Grande do Norte (RN). A pesquisa é uma parceria entre e a UEPB e a Universidade de São Paulo (USP).

“As famílias no Nordeste mantêm tradição de uniões consangüíneas, o que eleva o risco de nascimento de crianças portadoras de doenças genéticas. Muitas dessas doenças causam deficiências e incapacidades”, revela Silvana.

Segundo a professora, os objetivos do estudo são: realizar o levantamento da frequência de casamentos consanguíneos em 50 municípios da Paraíba e descrever as deficiências causadas por doenças genéticas. Para informações adicionais sobre o projeto, basta acessar o blog http://www.geneticanosertao.blogspot.com.

Da Assessoria de Imprensa da UEPB