Fale Conosco

27 de julho de 2009

Diretora do Museu de Belas Artes visita município de Areia



O município de Areia, terra natal do pintor Pedro Américo e do escritor José Américo de Almeida, viveu um momento único na última sexta-feira (24), ao receber, pela primeira vez, a visita da diretora do Museu Nacional de Belas Artes – do Instituto Brasileiro de Museus do Rio de Janeiro, Mônica Xexéo e a presidente da Fundação Casa de José Américo, Letícia Maia, que estavam acompanhadas da superintendente do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional na Paraíba – IPHAN, Eliane Castro.

Pela manhã a comitiva visitou o primeiro teatro da Paraíba  – “Teatro Minerva”, construído por iniciativa de 60 moradores e inaugurado em 1859. Em seguida foram recebidas no Museu Casa de Pedro Américo pela coordenadora do Ponto de Cultura Viva Museu da cidade, Lúcia Giovanna, que na ocasião mostrou toda riqueza do acervo do pintor. A visita teve a finalidade de acertar os procedimentos para o termo de cooperação técnica que será firmado entre o Museu de Belas Artes do Rio de Janeiro, o IPHAN e a Associação dos Amigos de Areia – AMAR.

Encantada com tudo que viu e apaixonada pelas obras de Pedro Américo, Mônica Xexéo se comprometeu em traçar um cronograma de trabalho, não só de restauração, mas de capacitação, através de oficinas e palestras a respeito da vida e obra de Pedro Américo. Ela informou ainda que vai realizar um intercâmbio cultural, levando voluntários que estão fazendo um trabalho de preservação em Areia para estagiar, no período de um mês, no Museu de Belas  Artes, no Rio de Janeiro. “Estou encantada, superou minhas expectativas, o acervo é muito rico e nunca foi apresentado no Rio de Janeiro, precisamos divulgar o trabalho feito em Areia de conscientização e preservação, precisamos trabalhar mais o Pedro Américo que é um artista emblemático na arte brasileira e um pouco esquecido pela nova geração”.

Segundo a superintendente do IPHAN, a visita de Mônica ao município de Areia vem estreitar os laços, e muitas ações serão iniciadas a partir dessa parceria. “Desde o tombamento que a gente vem sentindo que Areia está passando pelo processo de renovação e muitos parceiros vêm se somando, e a visita de Mônica representa um fortalecimento da maior importância, tendo em vista, Areia ser a terra natal de Pedro Américo, que é um símbolo nacional”.

Ainda pela manhã, a comitiva visitou o Museu do Brejo Paraibano (Rapadura), onde está sendo recuperada uma casa para receber um acervo sobre a vida e obra de José Américo. Na ocasião, Letícia Maia se comprometeu em fazer toda a ambientação do local. “Estamos impressionadas com o que vimos em Areia, a dedicação e o trabalho de preservação é muito valioso e a Fundação Casa de José Américo se compromete em ajudar a resgatar a memória de José Américo em sua terra natal”.

Já no período da tarde, no Solar José Rufino, Mônica Xexéo proferiu palestra seguida de debate sobre a importância da obra de Pedro Américo e os desafios do Museu de Belas Artes frente ao seu trabalho social. E encerrando as atividades, a comitiva visitou a Biblioteca de José Américo, localizada no Museu Regional de Areia, acompanhadas pelo Padre Adauto Tavares da Paróquia Nossa Senhora da Conceição; pelo presidente da AMAR, Carlomano de Abreu; o gestor do IPHAN, Atíla Tolentino, além de representantes da Universidade Federal da Paraíba.

Mônica Nóbrega, com fotos de Walter Rafael