Fale Conosco

30 de junho de 2009

Dilma garante recursos do PAC para infraestrutura e adutoras na Paraíba



A ministra da Casa Civil, Dilma Rousseff, se mostrou sensível aos apelos do Governo do Estado no sentido de liberar recursos para obras de infraestrutura e construção de adutoras. Estão sendo pleiteados R$ 547 milhões junto ao Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), segundo informou nesta terça-feira (30) o governador José Maranhão durante o programa semanal ‘Palavra do Governador’, transmitido por uma rede de emissoras para todo o território paraibano.

O governador considera indispensável o aporte desses recursos para permitir a execução de obras no Estado, como por exemplo, a segunda etapa da Transposição Litorânea que terá R$ 84 milhões e beneficiará 1,5 milhões de pessoas residentes na Grande João Pessoa. Desses recursos, a ministra já autorizou a inclusão no PAC de R$ 52 milhões destinados à construção de duas barragens e duas adutoras.

O secretário da Infraestrutura, Francisco Sarmento, também participou do programa e falou sobre seu encontro com a ministra Dilma Rousseff, de quem recebeu a confirmação da liberação dos recursos o mais breve possível. “A ministra já autorizou a inserção desses recursos no PAC”, disse.

Ele informou que ficou acertada a inclusão no PAC das obras de ampliação da adutora São José, que será ligada ao Açude Boqueirão. A obra vai beneficiar 400 mil paraibanos na região da Serra da Borborema, a começar pela população de Campina Grande, com a garantia do abastecimento de água por mais de duas décadas.

Sarmento também informou que seis sistemas adutores serão contemplados futuramente com R$ 222 milhões, beneficiando 700 mil pessoas residentes nas regiões do Brejo, bacia do rio Paraíba e Cariri.

O Porto de Cabedelo vai contar com um aporte de recursos da ordem de R$ 55 milhões. “É uma obra que vem sendo reivindicada há bastante tempo, mas somente agora está sendo possível sua realização”, observou o secretário. Ele também anunciou projetos no valor de R$ 80 milhões destinados a obras de infraestrutura nas cidades de Patos, Sousa, Cabedelo, São João do Rio do Peixe e Uiraúna, para evitar que sejam prejudicadas por novas enchentes.

José Nunes, da Secom-PB