João Pessoa
Feed de Notícias

Dida Fialho é convidado da quarta edição do ‘Macacos me Mordam – Ao vivo!’

sexta-feira, 7 de julho de 2017 - 09:54 - Fotos: 

O cantor e compositor paraibano Dida Fialho é o convidado da quarta edição do projeto ‘Macacos me Mordam – Ao vivo!’, nesta sexta-feira (7), às 18h, na Fundação Espaço Cultural da Paraíba, em João Pessoa. Pedro Osmar recebe o artista para conversa e debate sobre a cena musical paraibana.

Em 1975, integrando o grupo Ave Viola, Dida Fialho participou de vários shows. Neste mesmo ano, lançou o primeiro disco solo, “Requiem para o circo”, no qual contou com a participação especial de Zé Ramalho. Como ator participou da montagem da peça “O auto da Compadecida”, de Ariano Suassuna, dirigida por Fernando Teixeira, com a qual viajou por várias cidades brasileiras.

Montou shows por cidades do interior de São Paulo, onde também participou de diversos festivais. Participou de projetos musicais, entre os quais “Projeto Pixinguinha”, com o qual percorreu diversas capitais do Nordeste. Integrou o grupo folclórico do Liceu Paraibano; cantou no Coral Universitário da Paraíba sob a regência de Clóvis Pereira.

Residiu por 12 anos no Rio de Janeiro, onde, na Casa da Gávea e com direção de Cristina Pereira, participou da montagem da peça “Morte e vida Severina”, de João Cabral de Melo Neto. Retornou ao Estado da Paraíba ganhando o “7º Forró Fest da TV Globo Paraíba” com a composição “Cantador de rua”, de sua autoria.

No ano de 2004 lançou o CD “Pensadores virtuais”, no qual interpretou “Do além” (Chico César) e “Jaguaribe”, de Carlos Aranha. No CD incluiu diversas composições próprias, entre as quais “Boi de fogo” (c/ Livardo Alves e Deso Philho), “Habitar-se” (c/ Irani Medeiros), “Estou assim” (c/ Humberto Almeida), “Sol maior”, “Uma bossa nova”, “Baía formosa”, “Rapidez de estrelas”, “Cantador de rua”, “Notícias das terras de açúcar” e a faixa-título “Pensadores virtuais”, em parceria com Gilvan de Brito.

Em 2009, Dida lançou o “Tocando Campainha”. O disco conta com 11 faixas de autoria de Dida e parceiros como de Gilvan de Brito, Virgínia Lombardi, Gilberto Nascimento, Alberto Arcela, Saulo Mendonça, Paulo Vinícius e Ricardo Anísio. O trabalho também conta com as participações especiais de Nossa Voz, Costinha, Radegundis Feitosa, Anay Claro, Soraia Bandeira e Diana Miranda.

Em 2010, o cantor e compositor paraibano fez o show de abertura para apresentação do saudoso mineiro Vander Lee, no projeto Seis e Meia, em João Pessoa. No ano anterior, já havia dividido palco com outro mineiro, Lô Borges, no projeto Estação Nordeste, também na capital paraibana. Uma das canções mais conhecidas de Dida Fialho é ‘Cantador de Rua’.

Macacos me Mordam - Programa de estreia foi no dia 16 de junho, quando o convidado foi o cantor e compositor Milton Dornellas, com direito a uma plateia e bastante interação. O programa também teve espaço para música ao vivo, com Milton mostrando suas canções, no Centro de Documentação e Pesquisa Musical José Siqueira (com capacidade para 30 lugares). Na semana seguinte, o convidado foi o cantor e compositor Escurinho.

Na edição da última sexta-feira, o convidado foi o jornalista e radialista Jãmarrí Nogueira, quando houve um debate sobre o jornalismo cultural e sua importância diante da cena cultural paraibana. O ‘Macacos me Mordam!’ também é um programa (gravado) que vai ao ar às terças-feiras, quinzenalmente, na Rádio Tabajara.