Fale Conosco

8 de abril de 2016

Dia Mundial do Povo Cigano é comemorado nesta sexta-feira



Neste 8 de abril é comemorado o Dia Mundial do Povo Cigano, data marcada no calendário distribuído pela Secretaria de Estado da Mulher e da Diversidade Humana. O Governo do Estado, por meio da Semdh, planeja ações para o próximo mês, quando no dia 24 de maio é comemorado o dia nacional da comunidade. No município paraibano de Sousa, encontra-se uma das maiores populações de ciganos do Brasil.

Em agosto do ano passado, a Semdh realizou em Sousa o I Encontro de Ciganos do Nordeste, quando se reuniram mais de 200 representantes de ciganos de etnias Calon, Sinti e Rom. De acordo com o Censo 2010 do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o Brasil tem cerca de 800 mil ciganos, distribuídos em 291 cidades brasileiras. A população cigana no Nordeste, em grande parte, não possui registro civil, consequentemente, tem dificuldades para acessar programas governamentais, redes públicas de saúde e educação e outros serviços.

Segundo a secretária de Estado da Mulher e da Diversidade Humana, Gilberta Soares, a partir do protagonismo de lideranças ciganas, o setor público tem expressado preocupação com a execução de políticas públicas específicas para esta população. José Roberto da Silva, gerente executivo de Equidade Racial da Semdh, explicou que neste mês de abril, a Secretaria está focada nas ações para o povo indígena, devido ao Dia do Índio, comemorado no dia 19. Os Jogos Indígenas 2016 foram iniciados na manhã de hoje (8), na Aldeia Tramataia, município de Marcação. Porém, segundo o gerente, em maio haverá ações focadas no povo cigano.

Desde a implementação da Gerência Executiva de Equidade Racial, começou-se a localizar, mapear e identificar os grupos ciganos, assim iniciou-se várias ações com estes povos. No encontro realizado em 2015, estiveram presentes entre gestores e lideranças ciganas dos estados de Pernambuco, Ceará, Maranhão, Bahia, Alagoas e convidados do Governo Federal, como o representante do Ministério da Saúde; da Secretaria de Comunidades Tradicionais e do Conselho Nacional de Promoção a Igualdade Racial.

Da Paraíba, houve a participação de 11 cidades: Sousa, Condado, Poço de José de Moura, Pombal, São Mamede, Campina Grande, João Pessoa, Santa Rita, Cabedelo, Aparecida e Bayeux, no qual se destacou a maior participação das comunidades ciganas de Sousa e Condado. Deste encontro resultou a Carta dos Ciganos, na qual compreendiam a importância do fortalecimento de suas entidades representativas e relataram reivindicações focadas em sete eixos: identidade; proteção e preservação da cultura cigana; saúde; educação; trabalho, habitação e cidadania.

Também em 2015, a Secretaria de Estado do Desenvolvimento Humano (Sedh) e a Secretaria Executiva de Segurança Alimentar e Economia Solidária (Sesaes) realizaram sete Conferências Regionais de Segurança Alimentar e Nutricional e quatro Conferências Temáticas: Acesso à Terra e Água, Indígena, Ciganos e Étnico Racial, em várias localidades da Paraíba. A conferência temática Ciganos e Étnico Racial aconteceu na cidade de Sousa e se focou em ações específicas de acordo com a demanda desta população.

Povos Ciganos – O povo romani é a principal etnia entre aqueles conhecidos como ciganos. Eles estão espalhados pelo mundo, muitos ainda levam uma vida nômade e sofrem com preconceito e perseguição. Desde 1990 comemora-se o Dia Internacional do Povo Cigano no dia 8 de abril, celebrando essa cultura e tentando dar visibilidade para os problemas enfrentados pelo grupo, que tem uma identidade cultural e linguística próprias.

Durante o regime nazista, os ciganos foram perseguidos e assassinados como outras minorias, mas nunca receberam a mesma atenção que outros povos. Antes, já eram estigmatizados na Europa Medieval e ainda hoje encontram dificuldades para viver em muitos países. A comunidade cigana convive com a falta de visibilidade por parte da sociedade. As principais demandas apresentadas pelos povos ciganos estão voltadas para as áreas de educação, saúde, registro civil, segurança, direitos humanos, transferência de renda e inclusão produtiva.

No Brasil, existem três etnias ciganas: Calon, Rom e Sinti. Cada uma possui suas particularidades de grupos étnicos, línguas, culturas e costumes próprios. No Nordeste, estima-se que esta população seja de 60 mil pessoas, sendo a maioria da etnia Calon. No estado da Paraíba, há 27 municípios com registro de referência ou liderança cigana. Os municípios com maior número de ciganos são: a cidade de Sousa – há mais de 30 anos eles se fixaram na região, dividido em três ranchos, com aproximadamente 200 famílias; e na cidade de Condado, com cerca de 60 famílias. As principais atividades produtivas dos povos ciganos nestes dois municípios são a propagação da cultura cigana, como a leitura de mãos, a realização de jogo de cartas (cartomancia), grupo musical e de dança, artesanatos, entre outros. Outro ponto relevante na cultura cigana é a preservação e a valorização da língua Calon.