João Pessoa
Feed de Notícias

Dia de campo discutirá alternativas de produção de ração animal

segunda-feira, 2 de fevereiro de 2015 - 12:27 - Fotos:  Secom-PB

Com a finalidade de consolidar ações de convivência com o semi-árido, a Gestão Unificada Emater, Emepa e Interpa realiza nesta quarta-feira (4), Dia de Campo sobre “Alternativas Estratégias de Alimentação Animal no Semi-árido – A produção de Blocos Multinutricionais e suas Vantagens”, na Estação Experimental Benjamin Maranhão da Emepa, em Tacima, com a participação de criadores da região, numa iniciativa da Unidade Operativa da Emater local, Projeto Rondon e a Prefeitura do município.

A abertura do evento será às 7h30 com encerramento previsto para as 12h, devendo contar com a participação do prefeito Erivan Bezerra, do secretário municipal da Agricultura, Meio Ambiente e Desenvolvimento Econômico, Marconi Ferreira, do coordenador regional da Emater em Solânea, Ruy Moraes, e do gerente da Unidade Operadora, Bilac Oliveira, além de dezenas de agricultores interessados em conhecer a tecnologia.

Durante o evento os participantes tomarão conhecimento da importância da utilização da uréia na alimentação animal, tendo como palestrante Dione de Lima Vanzo, médico veterinário do Projeto Rondon. Depois o extensionista rural Bilac Oliveira vai falar sobre a produção de blocos multinutricionais e suas vantagens como alternativas de alimentação animal para ruminantes no semi-árido.

Também serão apresentadas práticas sobre o processo de fabricação de blocos multinutricionais com a utilização de prensas elétrica manual, pelo técnico Carlos Antônio de Oliveira, da Emepa-PB.

A utilização dos blocos multinultricionais garante uma suplementação dirigida a suprir quantidades lentas e pequenas de nutrientes minerais críticos para a nutrição de ruminantes. Na composição dos blocos, a principal fonte de proteína solúvel é a uréia e de energia é o melaço, ambos são rapidamente digeridos e devem estar presentes na composição. Os farelos de soja, algodão e outra oleaginosa podem ser usados como fontes protéicas, e o milho, sorgo e mandioca como fontes energéticas.  Esses blocos têm como meta reduzir as taxas de perda de peso de rebanhos, além de melhorar o desempenho e a produtividade animal.