João Pessoa
Feed de Notícias

Dia ‘D’ marca campanha contra o sarampo na Grande João Pessoa

sábado, 8 de março de 2014 - 17:37 - Fotos:  Secom-PB/ Ricardo Puppe

Imunizar contra o sarampo 95% das 70.747 crianças de seis meses a cinco anos de idade nas cidades de João Pessoa, Conde, Santa Rita, Cabedelo e Bayeux. Esse foi o objetivo do Dia D da campanha de vacinação emergencial contra a doença, que aconteceu neste sábado. Nos cinco municípios, 260 Unidades de Saúde da Família ofereceram a vacina no horário das 8h às 17h. Setenta mil doses e seringas foram distribuídas para realizar a imunização, desse total, 48 mil doses foram para a cidade de João Pessoa.

A campanha foi iniciada no dia 26 de fevereiro e segue até o dia 14 deste mês, com o objetivo de interromper a cadeia de transmissão do sarampo na região Nordeste.  A vacina injetável é tríplice viral imunizando contra o sarampo, caxumba e rubéola.

De acordo com a gerente executiva de Vigilância em Saúde, Talita Tavares, a Secretaria de Estado da Saúde (SES) realizou visitas técnicas nos cinco municípios, para dar todo o suporte necessário.

Talita explicou que, além dessa faixa etária, crianças e adultos com até 49 anos que realizarem viagem para os Estados do Ceará e Pernambuco, onde circula o vírus devem atualizar a caderneta de vacinação e tomar uma nova dose para reforçar a vacina. “Os pais estão sendo alertados no sentido de levarem seus filhos, mesmo que já tenham sido vacinados, e não esqueçam o cartão de vacinação, pois nos postos móveis a vacina só será aplicada com a apresentação do documento”, enfatizou.

A gerente destacou a importância do cumprimento das metas por parte dos municípios e a cooperação dos pais. “É necessário que todos os municípios atualizem o quantitativo de vacinas alcançado até a próxima segunda-feira (10), para juntos avaliarmos e adotarmos estratégias para o cumprimento da meta. Sem o esforço dos municípios e o apoio dos pais é impossível atingirmos o número estabelecido, por isso é de extrema importância que os pais levem seus filhos até o Posto de Saúde da Família mais próximo de sua casa, para atualizar a caderneta de vacinação”, disse Talita, que lembrou ainda que mesmo as crianças de seis meses a cinco anos, que já foram vacinadas contra o sarampo, devem tomar uma nova dose para reforçar a proteção.

Em João Pessoa, além de todas as Unidades ficarem abertas, 10 postos móveis foram instalados em locais de grande movimentação: Bompreço, da Av. João Machado; Atacadão, no José Américo; Manaíra Shopping; Shopping Sul; Shopping Tambiá; Carrefour da BR-230 e do Bancários; Hiper Bompreço da BR-230; Extra, da Av. Epitácio Pessoa e Superbox Brasil, no bairro do Bessa.

Para Guiomar Medeiros, coordenadora de Vigilância em Saúde da cidade do Conde, a vacinação é de extrema importância na região por se tratar de uma área litorânea, com grande quantidade de turistas. “É sempre bom prevenir. Com a imunização, nossas crianças ficarão protegidas da doença”, disse a coordenadora que destacou também que nove unidades foram disponibilizadas para garantir a vacinação de 1.945 crianças existentes na cidade com o apoio de 70 profissionais de saúde.

A dona de casa Maria das Neves Araújo Pereira foi uma das mães que compareceu na Unidade Básica de Saúde Nossa Senhora da Conceição, localizada na cidade do Conde, para atualizar a vacinação do filho Luciano, de 4 anos. “A vacina previne nossos filhos de doença, então hoje tirei um tempinho para cuidar da saúde do meu filho”, contou.

Importância – O sarampo é uma doença de elevada transmissibilidade que pode atingir crianças e adultos. A transmissão acontece diretamente de pessoa para pessoa, através das secreções expelidas ao tossir, espirrar ou falar. Em 2013, o Ministério da Saúde registrou 200 casos da doença, sendo 190  só na região Nordeste.

Contraindicações – A vacina contra o sarampo não deve ser administrada em crianças com imunodeficiência congênita ou adquirida, câncer, ou que estejam em tratamento utilizando corticosteroides em esquemas imunodepressores. As crianças submetidas à quimioterapia, radioterapia, entre outros, também não devem ser imunizadas.