Fale Conosco

17 de novembro de 2010

Deusimar Guedes sobre o tema ´violência e tráfico na escola`



O que a sociedade pode fazer para prevenir e combater a ´violência e o tráfico de drogas na escola`? Esse foi o tema da conferência proferida pelo gestor do Programa Estadual de Políticas sobre Drogas (PEPD/PB), Deusimar Guedes, durante o II Seminário de Direito Público e Privado, promovido pelo Departamento de Ciências Jurídicas da Universidade Federal da Paraíba (UFPB) em parceria com o Centro Acadêmico de Direito. O evento foi realizado no auditório da reitoria da UFPB e contou com centenas de participantes, principalmente alunos.

Em sua conferência, o gestor do PEPD/PB falou sobre uma das principais dificuldades enfrentadas nas escolas, pelos professores, quando o assunto é a abordagem sobre drogas e suas conseqüências. “Os educadores não se sentem preparados para trabalhar esse tema”, explica Deusimar. Nesse sentido, o especialista apresentou um dos projetos do PEPD/PB, já em andamento, que está elaborando um cronograma, em parceria com a Secretaria de Educação, para capacitar todos os professores da rede estadual de ensino.

De acordo com Deusimar Guedes, medidas simples adotadas pelas escolas também podem fazer uma grande diferença na prevenção da violência e do tráfico. Além das discussões, em sala de aula, sobre as seqüelas devastadoras das substâncias psicoativas, a administração da escola precisa cobrar do poder pública requisitos como: ruas próximas ao estabelecimento de ensino bem iluminadas; fiscalização nos bares próximos, inclusive evitando sons altos no horário das aulas, e fazer uma identificação de todos os ambulantes que vendem produtos na porta da escola.

Entre os questionamentos surgidos durante o Seminário na UFPB, os participantes desejaram saber qual seria a idade ideal para começar a trabalhar a prevenção entre crianças e jovens. “Costumo dizer que a prevenção deve ser trabalhada com a criança antes mesmo dela nascer, a partir do momento em que uma pessoa pensa em ter um filho. Isso porque alguém que deseja ter um filho precisa possuir hábitos saudáveis, não consumir drogas, para não comprometer a saúde da criança, oferecendo-lhe bons exemplos”, afirma Deusimar, ressaltando ainda a importância da presença ativa dos pais e familiares na educação das crianças e jovens.

Segundo o gestor do PEPD/PB, para se abordar a temática de prevenção e combate às drogas não é necessário ser especialista. Falar da vida, de boas práticas e de saúde já significa prevenir o uso indevido de substâncias químicas.

“É muito bom ver o interesse de todos os jovens aqui presentes, com relação a esse tema. A participação de todos vocês é muito valiosa nesse processo educativo, porque os jovens tendem a ouvir outros jovens. Se vocês tiverem boas mensagens para passar, certamente farão uma grande diferença”, conclui Deusimar.

Fabiana Nóbrega, Assessoria de Imprensa do PEPD/PB