Fale Conosco

19 de setembro de 2011

Detentos do PB1 iniciam curso de operador de micro



Os detentos da Penitenciária Dr. Romeu Gonçalves de Abrantes (PB1), em João Pessoa, ganharam uma oportunidade de buscar nova qualificação para retornarem ao mercado de trabalho. Uma parceria do Governo do Estado, via Secretaria de Administração Penitenciária (Seap), com a Federação das Indústrias do Estado da Paraíba (Fiep) e Serviço Nacional da Indústria (Senai) qualificará 40 detentos na função de operador de micro

O curso, que está sendo ministrado numa sala adaptada do próprio presídio, integra o programa de ressocialização lançado recentemente. Os primeiros 40 internos foram escolhidos pelo critério do bom comportamento e assistirão 40horas/aula dividas em prática e teoria.

O secretário de Administração Penitenciária, Harrison Targino, esteve na aula inaugural assim como Sheyner Asfora (presidente do Conselho da Comunidade, órgão ligado à Vara de Execução Penal), o padre Bosco (Pastoral Carcerária), Guiany Campos (Direitos Humanos) e a gerente de Ressocialização, Ivanilda Gentle.

“O curso tem por objetivo fazer com que os detentos deixem de ser exceção no mercado de trabalho, conseguindo uma colocação novamente na sociedade, quando forem libertos”, explica a gerente de Ressocialização da Seap, Ivanilda Gentle.

Para o detento Marcelo Diniz, de 23 anos, um dos alunos, o curso se resume a uma frase: “Oportunidade de uma nova vida”.

Segundo o secretário Harrison Targino, o curso busca garantir chances efetivas para que o detento que busca uma nova chance tenha uma oportunidade de vida saudável fora das penitenciárias: “O curso, como todo Programa de Ressocialização, tem objetivo de oferecer chances de trabalho, educação e saúde”.

Harrison Targino disse que a implantação do programa “Cidadania é Liberdade” é uma tentativa em melhorar o período da detenção com qualidade, dando oportunidade não só para os detentos como também para seus familiares: “Acima de tudo, o programa busca melhorar a qualidade da execução penal dentro do sistema prisional, e estende os benefícios para os familiares dos detentos, dando uma condição de vida melhor e quebrando o ciclo de violência”.

Para o padre Bosco, a iniciativa é extremamente positiva e serve de exemplo para o resto do país: “É louvável, um exemplo que deveria ser seguido nos presídios de todo país, é uma oportunidade de mudança”.

No sábado (17), uma turma de detentos concluiu o curso de impressor serigráfico no Presídio Serrotão, em Campina Grande, e nesta terça (20) mais uma turma receberá os certificados no Presídio de Cajazeiras.

Até o fim do ano, a meta é capacitar e qualificar 5% dos detentos paraibanos com os cursos de operador de microcomputador, instalador hidrossanitário, instalador elétrico residencial, confeccionador de bolas de couro, confeiteiro (pizza) e impressor serigráfico ministrados pelo Fiep e Senai. Os cursos de preparo de doces e salgados, corte de cabelo, técnicas básicas de manicure e pedicure, preparo de pizzas e, na área cultural, oficinas de violão, dança, artes plásticas e teatro integram convênio firmado entre o Governo do Estado e a Fecomércio. Por sua vez, o curso de chefe de cozinha internacional é uma parceria com a Fundação Cidade Viva, enquanto que as aulas de ensino da alfabetização serão ministradas a partir de parceria com a Universidade Estadual da Paraíba (UEPB).

Política pública – O Governo vem investindo na humanização e na ressocialização dos detentos. No mesmo dia em que lançou o programa “Cidadania é Liberdade”, o governador Ricardo Coutinho sancionou a lei que determina a empresas vencedoras de licitação para obras do governo estadual destinarem 5% de vagas de emprego nessas obras para sentenciados. A lei nº 9.430, de 14 de julho de 2011 deverá constar expressamente no edital do processo licitatório, sob pena de invalidação do certame.

A intenção, segundo o secretário de Estado da Administração Penitenciária, Harrison Targino, é atuar de modo efetivo na tarefa de ressocialização daqueles que passaram pelo sistema prisional.