João Pessoa
Feed de Notícias

Detentas do presídio feminino fazem teste rápido para diagnóstico da Aids

terça-feira, 15 de março de 2011 - 10:40 - Fotos: 

A Secretaria de Estado da Saúde (SES) realiza desta quarta (16) até sexta-feira (18) o teste rápido para diagnóstico da aids e a coleta de sangue para detectar hepatites B e C em 180 mulheres da Penitenciária Feminina Júlia Maranhão, em Mangabeira. A meta é realizar a ação em toda unidade do Sistema Prisional da Paraíba visando o diagnóstico precoce do HIV e das hepatites.

“O presídio feminino foi escolhido como piloto da ação, estrategicamente, por estamos no mês alusivo ao Dia Internacional da Mulher e por possuir uma equipe de saúde na própria unidade. Esta equipe foi treinada pela SES, na prevenção e diagnóstico do HIV”, explicou a gerente de DST’s/Aids e Hepatites da SES-PB, Ivoneide Lucena.

Ainda como parte da programação alusiva ao Dia Internacional da Mulher, a gerência de DST’s/Aids e Hepatites da SES realiza no dia 22 deste mês o teste rápido na população feminina indígena de Marcação.

Outro grupo que vai receber atenção especial da SES são as profissionais do sexo de João Pessoa. “Ainda neste mês de março, o teste rápido para detecção do HIV será feito nas profissionais do sexo, em uma ação com a Universidade Federal da Paraíba. Na ocasião, também será disponibilizado o teste para sífilis”, destacou.

Depois do carnaval – Após este período de carnaval, a recomendação do Ministério da Saúde é a realização do teste rápido nas pessoas que tiveram relação em situação de risco, sem o uso do preservativo. Na Paraíba, a ação vai ter início no dia 8 de abril.

“Realizaremos a partir de abril o evento ‘Fique Sabendo’, fazendo o teste rápido do HIV nas pessoas que já estão fora da janela imunológica, ou seja, aquele período de 30 dias em que a pessoa fez sexo desprotegido com alguém soro positivo”, explicou.

Números – Dados da SES do ano passado revelam que no ano 2010 foram notificados 371 casos de HIV positivo, desses 287 são homens e 84 são mulheres. Os municípios que contabilizam o maior número de casos de HIV positivo na Paraíba são: João Pessoa com 141, Bayeux 26, Campina Grande 24, Santa Rita 24, Patos 10, Sapé com oito e Cabedelo tem sete.

Estima-se que na Paraíba cerca de 12.500 pessoas são soro positivas, destas apenas cerca de 4 mil sabem do seu estado sorológico, o que representa um déficit de diagnóstico de 8 mil casos.

Atualmente na Paraíba, existem sete unidades dispensadoras de medicamentos específicos para aids, onde são atendidas  2.400 pessoas que recebem o tratamento antirretroviral.