Fale Conosco

1 de novembro de 2012

Detentas de Patos e Cajazeiras participam de curso profiossionalizante



Um grupo de 40 detentas dos presídios de Patos e Cajazeiras vai participar do curso de embelezamento de mãos e pés, que vai ser promovido pela Secretaria de Estado da Administração Penitenciária (Seap) em parceria com o Serviço nacional de Aprendizagem Comercial (Senac).  A duração do curso é de 10 dias e as detentas que concluírem a capacitação terão direito a um diploma expedido pelo Senac. A gerente de Ressocialização da Seap, Ziza Maia, vem buscando fechar novas parcerias para que os reeducandos da Paraíba tenham a oportunidade de se capacitar profissionalmente, tendo chances maiores no mercado de trabalho.

Na Capital, o curso de corte e escova teve a abertura oficial nesta quinta-feira (1º), no presídio feminino Maria Júlia Maranhão, em Mangabeira.  Vinte detentas irão participar do curso, que tem início na próxima segunda-feira (5) e tem carga horária de 40 horas aula, divididas em dez dias. “Essa é mais uma oportunidade que elas tem para mudar de vida, nós já recebemos na unidade cursos de cozinha, pizza, doces e salgados, entre outros. O resultado sempre tem sido positivo e desta vez não vai ser diferente”,  disse a diretora do presídio, Cinthya Almeida.

Os cursos profissionalizantes fazem parte do programa “Cidadania é liberdade”, que desde o ano passado desenvolve ações nas áreas de educação, saúde, trabalho, cultura e família para detentos e familiares de presos aqui no estado. Até o final do ano, mil apenados deverão ser profissionalizados na Paraíba.

Outras iniciativas – Na penitenciária regional Raimundo Asfora (Serrotão), em Campina Grande, uma reunião na última quarta-feira (31), entre o juiz da Execução Penal Fernando Brasilino, o representante do Ministério Público, Antônio Barroso Pontes Neto, representantes da Universidade Estadual da Paraíba (UEPB), da unidades  prisionais e também da gerência de ressocialização da Seap, discutiram novos projetos de ressocialização para as unidades prisionais daquela região. A expectativa da gerência de ressocialização da Seap é que novos convênios sejam firmados para que mais apenados do Estado tenham a oportunidade de se capacitar.