Fale Conosco

16 de dezembro de 2015

Destino Paraíba registra aumento do fluxo de turistas no mês de novembro



A rede hoteleira de João Pessoa registrou uma ocupação de 70,77% dos quartos disponíveis no mês de novembro, contribuindo para uma elevação de 0,97% no fluxo de hóspedes para o Destino Paraíba em relação ao mesmo período do ano passado. De acordo com a pesquisa mensal do Fluxo Global de turistas realizada pelo Setor de Estatísticas da Diretoria de Fomento da Empresa Paraibana de Turismo (PBTur), em novembro passado foram contabilizados 198.056  hóspedes contra 196.153 neste ano. No acumulado dos 11 meses deste ano, foram 1 milhão 230 mil 130 visitantes, dos quais 1 milhão somente na Capital.

Conforme a pesquisa, no acumulado do ano a ocupação hoteleira foi de 71,45%, representando um aumento de 2,35 pontos percentuais (p.p) na comparação com o mesmo período do ano passado. No período dos últimos 12 meses, a média da taxa foi 71,24%, um aumento de 2,08 p.p contra o mesmo período anterior.

A presidente da PBTur, Ruth Avelino, avaliou os números da pesquisa mensal como positivos e significativos. Segundo a executiva paraibana, deve-se levar em conta que há uma crise econômica generalizada e o turismo interno se mantém em alta. “É importante contextualizar esse resultado numa realidade econômica muito  difícil. As famílias hoje estão deixando de lado o lazer para preservar a poupança, mas mesmo assim nossa hotelaria teve uma média de ocupação positiva, o que movimenta a cadeia do turismo como bares, restaurantes, receptivos e até guias de turismo”, disse.

Origem dos turistas – O Nordeste continua sendo o principal emissor de turistas para a Paraíba. A pesquisa mostrou que 40,29% do total são oriundos dos estados vizinhos a Paraíba ou da região; em seguida vem o Sudeste com 38,14%;  região  Centro-Oeste com 10,60%;  Sul com 9,44%; e a  região Norte com 1,54%. Os principais estados emissores foram: SP (21,07%) de incidência, PE (15,71%), RN (9,30%), RJ (8,87%) e MG (7,82%).

O fluxo estrangeiro: Os principais países emissores foram  Itália (19,52%) de incidência, Estados Unidos (15,62%), Alemanha (12,77%), Argentina (9,91%) e Portugal (6,28%).