João Pessoa
Feed de Notícias

Destaque da agenda é a autorização para conclusão do Hospital e Maternidade Alice de Almeida, em Sum

sexta-feira, 19 de março de 2010 - 08:53 - Fotos: 

O governador José Maranhão cumpre extensa agenda administrativa nesta sexta-feira (19), ‘Dia de São José’, nas regiões do Sertão e Cariri. Ele vai aos municípios de Patos, Sumé, Congo e Gado Bravo. Os compromissos começam às 8h na cidade de Patos, onde ele participa da abertura do I Seminário de Agentes Comunitários de Saúde e Agentes de Combate às Endemias. O evento vai ser realizado no ginásio de esportes ‘O Rivaldão’, naquela cidade sertaneja.

Às 10h, está prevista a chegada do governador ao município de Sumé para assinar a ordem de serviço da reforma e ampliação do Hospital e Maternidade Alice de Almeida. Os investimentos somam R$ 4,6 milhões entre obras físicas e aquisição dos equipamentos. Às 13h, o chefe do Executivo estadual inspeciona as obras de pavimentação da rodovia PB-214, que liga Sumé ao município do Congo, numa extensão de 32 quilômetros. Os investimentos são da ordem de R$ 11,9 milhões.

Pleito atendido – As obras devem ser concluídas até o final do ano. A estrada está recebendo sua primeira pavimentação asfáltica e os serviços incluem também a construção de uma ponte de acesso ao Congo. A população sempre sofreu com poeira no verão e muito buraco e lama no inverno. Com a pavimentação vão ser beneficiados diretamente os 21 mil habitantes das duas cidades, além dos demais usuários daquele trecho da rodovia estadual.

Na sequência de sua agenda administrativa, o governador participará às 17h, no campus da Universidade Federal de Campina Grande (UFCG) em Sumé, da solenidade de inauguração do Centro de Desenvolvimento Sustentável do Seridó. À noite, às 22h, ele prestigiará a festa do padroeiro São José, no município de Gado Bravo, na praça central.

Ordem de serviço – Um dos destaques da agenda do governador José Maranhão é certamente sua passagem por Sumé, onde ele assina, às 10h desta sexta-feira (19), a ordem de serviço para a conclusão do Hospital e Maternidade Alice de Almeida, que fica na Rua Francisco de Melo, 303, no Centro daquela cidade (próximo à Praça José Américo e à Rádio Cidade).

Para terminar a obra, iniciada em 2001, o Governo do Estado vai investir R$ 1.822.534,48. Para equipar a unidade, deverão ser gastos R$ 2.854.000, totalizando um investimento de mais de R$ 4,6 milhões. A solenidade vai acontecer na própria unidade de saúde, que fica no Centro da cidade. Dentro do projeto de recuperação da rede hospitalar da Paraíba, o governo está concluído as obras de mais oito unidades e finalizando a licitação de outras três.

Atendimento – A unidade, que atende, por mês, uma média 2.400 pessoas e realiza cerca de 300 partos, possui 32 leitos. Depois de concluída, passará a ter 105, sendo 88 para internação (enfermarias, pré-parto, isolamento, reidratação e recuperação), nove para observação e oito de terapia intensiva. Com a conclusão da reforma, o hospital passará a ter UTI para adultos, serviço de ortopedia e exames especializados, como tomografia, ecocardiograma, ultrassonografia e raios-X.

Além de Sumé, que possui 17.085 habitantes, o hospital atende a população de outros municípios vizinhos, como Congo, Livramento e Amparo. O setor de Engenharia da Secretaria de Estado da Saúde (SES) explicou que, apesar de ser municipal, o hospital terá a obra custeada pelo Governo do Estado, porque a unidade passou a ser administrada pelo município quando a obra já tinha sido iniciada, no Maranhão II.

Hoje, o hospital realiza apenas cirurgias de pequena e média complexidades. Com a reforma, passará a fazer também procedimentos de alta complexidade. A unidade está localizada em uma área de 7.013 metros quadrados e a área da construção do hospital é de 4.469 metros quadrados.

Solução – A diretora da unidade, Vitória Regina Barbosa, explicou que a obra inacabada fica na parte superior do prédio. Segundo ela, quando José Maranhão assumiu o governo no ano passado, a reforma na parte de baixo estava pronta porque tinha sido feita por ele na outra gestão, mas não podia funcionar porque faltavam os equipamentos.

“Esta gestão resolveu o problema e, agora, os setores estão funcionando. Já a obra na parte superior foi iniciada na gestão anterior, mas não teve continuidade por falta de interesse e por questões políticas. Por isso, o povo de Sumé e das cidades vizinhas está tão ansioso”, disse.

Cronograma de obras – Após a assinatura da ordem de serviço em Sumé, a Paraíba passará a ter nove hospitais com obras custeadas pelo governo. Os outros oito são: Hospital de Trauma de Campina Grande; Hospital Clementino Fraga (JP); Maternidade Peregrino Filho, em Patos; Hospital Distrital de Taperoá; Hospital Geral de Queimadas; Hospital de Itapororoca; Hospital Regional de Itabaiana e Hospital Regional de Pombal.

Os hospitais de Belém do Brejo do Cruz e Monteiro estão em fase de licitação e o Regional de Picuí deverá ter a ordem de serviço assinada na próxima semana. O Governo do Estado também vai entrar com R$ 1 milhão para complementar a obra do Hospital Municipal de Pedras de Fogo, que já teve inicio, além de arcar com a compra de todos os equipamentos, orçados em R$ 4.970.642.40.

Josélio Carneiro, da Secom-PB, e informações da Assessoria de Imprensa da SES