João Pessoa
Feed de Notícias

Desatualizado, sistema exibe número menor de vacinados contra gripe A

sexta-feira, 26 de março de 2010 - 16:34 - Fotos: 
Até o final da manhã desta sexta-feira (26), segundo o Sistema de Informação do Programa Nacional de Imunizações (SI-PNI), a Paraíba só havia vacinando 91.271 pessoas contra a influenza A (H1N1) desde o início da campanha, no dia 8 deste mês. De acordo com a Coordenação de Imunização da Secretaria de Estado da Saúde (SES), o número de vacinados é bem maior, mas os dados não estão sendo informados.

Há municípios que não atualizam o SI-PNI desde o último dia 10. Nesta segunda fase, apenas 35.636 pessoas – entre gestantes, crianças de 6 meses a 2 anos de idade e doentes crônicos – aparecem como imunizadas, quando a população estimada é de 357.754 pessoas.

Meta – O coordenador estadual de Imunização, Walter Albuquerque, lembrou que a meta é imunizar, pelo menos, 80% da população estimada  nesses três grupos prioritários. As doses estão sendo aplicadas nos 1.007 postos distribuídos nos 223 municípios do Estado. Na primeira etapa, foram imunizadas 55.635 pessoas que fazem parte de dois grupos prioritários: trabalhadores da saúde e população indígena. Neste segundo momento, segundo o PNI, haviam sido vacinados 7.268 gestantes, 14.480 crianças de 6 meses a 2 anos de idade e 13.888 doentes crônicos.

Walter Albuquerque alertou que os municípios precisam atualizar a informação sobre a quantidade de pessoas que está sendo vacinada. “Até a manhã desta sexta-feira, apenas 36% dos municípios da Paraíba estavam com a informação atualizada no Sistema de Informação do Programa Nacional de Imunizações. Eles precisam manter os dados atualizados, porque é através dessa informação que a estratégia de distribuição da vacina é definida para cada localidade”, alertou.

Quantidade limitada – Ele lembra que as pessoas que estão dentro dos grupos prioritários que estão sendo vacinados devem levar um documento de identificação. No caso do doente crônico ele deverá apresentar um atestado médico, um laudo ou outro documento que comprove sua condição. As grávidas podem mostrar o cartão da gestante ou o comprovante do pré-natal. Com relação às crianças, os pais ou responsáveis devem levar o cartão de vacinação.  Segundo Walter Albuquerque, a estratégia é necessária porque a quantidade de vacinas fornecidas pelo Ministério da Saúde (MS) é limitada.

Na Paraíba, a meta é vacinar 1.750.172 pessoas até o final da campanha, no dia 21 de maio. Dentro da estratégia nacional de enfrentamento da segunda onda da pandemia de gripe A, o Ministério da Saúde dividiu a população-alvo em grupos prioritários, que são os que têm o maior risco de desenvolver formas graves da doença e de morrer. Eles foram definidos em parceria com representantes de sociedades científicas, estados e municípios e entidades de classe.

Segundo o Ministério da Saúde, os critérios para definição dos públicos prioritários levaram em conta as recomendações da Organização Mundial da Saúde (OMS), os dados epidemiológicos observados na primeira onda da pandemia no Brasil e a experiência de outros países. Haverá vacinas disponíveis para 91 milhões de pessoas em todo território nacional. A expectativa é vacinar pelo menos 80% desse público.
 

Da Assessoria de Imprensa da SES