João Pessoa
Feed de Notícias

DER reúne concessionárias para relocar redes de serviço em Mangabeira

quarta-feira, 7 de agosto de 2013 - 10:24 - Fotos:  José Lins/Secom-PB

Nesta sexta-feira (9) as concessionárias de serviços públicos Cagepa, Energisa, PBGás, GVT, Oi, Embratel e Net apresentarão seus cronogramas para remanejamento de suas redes na área onde será executado o projeto do Trevo de Mangabeira. A reunião ocorrerá às 9h no Departamento de Estradas e Rodagem (DER).

Cada concessionária detalhará o projeto em que adequará sua estrutura física ao projeto global do Trevo, que é uma obra que pretende resolver em definitivo o problema de congestionamentos no tráfego da zona sul da capital. A licitação dessa obra – que custará R$ 20 milhões – deverá ocorrer nos próximos dias

O remanejamento das infraestruturas ficará a cargo das empresas juntamente com o DER. Após a conclusão dos projetos, a solicitação de uso e ocupação do solo será encaminhada à Prefeitura Municipal de João Pessoa para a regularização das obras, assegurou o diretor de Planejamento do DER, Ademilson Montes Ferreira. O setor de planejamento está concluindo os projetos desses serviços que constituem a primeira etapa das obras do Trevo de Mangabeira.

Trânsito durante obras – O diretor Ademilson Ferreira disse que o tráfego de veículos durante a execução das obras do trevo ocorrerá por vias secundárias que serão pavimentadas e requalificadas. Ele disse que já teve reuniões com o superintendente de Mobilidade do Município, Nilton Pereira, tratando do assunto.

O projeto do Trevo de Mangabeira utilizará técnicas de engenharia que possibilitarão o escoamento do tráfego viário em todas as direções, que proporcionará maior fluidez nas interseções das Avenidas Josefa Taveira e Hilton Souto Maior Filho.

O trevo terá uma extensão de 800 metros, e a plataforma da avenida ficará com 22 metros, com duas pistas de rolamento, canteiro central, ciclovia e calçadas. O tipo de revestimento será em concreto betuminoso usinado a quente – CBUQ.

A obra beneficiará diretamente cerca de 250 mil habitantes, especialmente os moradores dos bairros da zona sul da Capital. Circulam diariamente na área cerca de 30 mil veículos entre automóveis, ônibus, caminhões e motos. Em horários de pico de tráfego os engarrafamentos são comuns.

O projeto prevê obras de terraplenagem, pavimentação asfáltica, construção de viaduto em concreto, drenagem, iluminação ornamental e sinalização horizontal e vertical. A construção do trevo ficará a cargo do DER, através de uma firma contratada em licitação pública.