Fale Conosco

18 de julho de 2011

Defesa Civil e Bombeiros monitoram efeitos das chuvas e atendem populações desabrigadas



O Governo do Estado está realizando um trabalho de monitoramento e atendimento aos municípios atingidos pelas últimas chuvas que vêm caindo em várias regiões da Paraíba. O Corpo de Bombeiros, Defesa Civil, Aesa, DER e Secretaria de Estado do Desenvolvimento Humano, entre outros órgãos, estão com plantões permanentes, atendendo determinação do governador Ricardo Coutinho.

Conforme relatório divulgado pelo Corpo de Bombeiros, desde sexta-feira (16) até esta segunda-feira (18) foram registradas 45 ocorrências em socorro às vítimas de alagamento, inundações, deslizamentos e desabamentos nos bairros do Alto do Mateus, das Indústrias, Ilha do Bispo e Mandacaru. Em parte da BR-101 e PB-008, entre os bairros Mangabeira e Valentina Figueiredo, bem como nas cidades de Santa Rita, São Miguel de Taipu, Caaporã, Bayeux, Cruz do Espírito Santo, Pilar, Sobrado, Conde, Riachão do Poço e região de Alhandra (nas comunidades de Massaranzana e Cupiçura) também ocorreram problemas em razão das chuvas. As vítimas das enchentes estão sendo abrigadas em escolas, creches e associações de moradores.

Ainda conforme o relatório, em Cruz do Espírito Santo, a ponte da Batalha sofreu um pequeno desabamento devido ao grande número de curiosos que queriam ver o volume do rio e o trabalho do Corpo de Bombeiros. Em Bayeux, mais de 500 pessoas ficaram sem casas devido ao alagamento causado pelo rio Sanhauá. Em Santa Rita, canais transbordaram, provocando fortes correntezas que dificultaram o socorro às vítimas. Ruas inteiras foram inundadas, deixando mais de 300 pessoas sem moradias e sem condições de deslocamento. Essas pessoas estão recebendo ajuda dos bombeiros e da Marinha.

 

Outra ocorrência que preocupa o Corpo de Bombeiros diz respeito ao excesso de água do açude Riachão do Poço, próximo à fazenda Bela Vista. Segundo o proprietário da fazenda, o reservatório está preste a estourar, e a sua estrutura já sofreu algumas avalias. Para evitar um desastre, o Corpo de Bombeiros está orientando a população vizinha à barragem sobre os meios de escape e saídas de emergências, em situação de socorro.

Defesa Civil – Segundo relatório divulgado pela Gerência Executiva da Defesa Civil estadual, as chuvas afetaram várias cidades do Brejo, Agreste e Litoral da Paraíba. As 28 cidades mais afetadas foram Araçagi, Alagoa Nova, Alhandra, Bayeux, Caaporã, Cabedelo, Campina Grande, Cruz do Espírito Santo, Cuitegí, Gurinhém, Itabaiana, Ingá, João Pessoa, Juarez Távora, Lagoa Seca, Mamanguape, Mogeiro, Mulungu, Natuba, Pilar, Pirpirituba, Puxinanã, Rio Tinto, Santa Rita, Sapé, Salgado de São Félix, Sobrado e São José dos Ramos.

Somente em Rio Tinto a Defesa Civil já constatou que cerca de 500 pessoas estão desabrigadas. Elas foram alojadas no Centro Educacional e em casas de parentes. As cidades de Ingá e São José dos Ramos estão isoladas.

De acordo com informações da Defesa Civil estadual, os prefeitos estão decretando situação de emergência, além dos 15 que já decretaram. O órgão está elaborando minucioso relatório que será entregue ao governador Ricardo Coutinho para ser repassado ao secretário da Defesa Civil nacional.

Aesa prevê chuvas esparsas no Agreste, Brejo e Litoral

As chuvas que vêm caindo há vários dias em praticamente todo o Estado da Paraíba terão uma redução considerável nas próximas 24 horas, entretanto, devem ocorrer chuvas esparsas nas regiões do Agreste, Brejo e Litoral paraibanos, segundo previsão da Agência Executiva de Gestão das Águas do Estado da Paraíba (Aesa). Para as demais regiões (Cariri, Curimataú, Sertão e Alto Sertão), a previsão é de sol com variação de nuvens.

A Aesa também divulgou a relação dos 27 reservatórios que estão sangrando em várias regiões do Estado. São eles: Suspiro (Serra da Raiz), Algodão (Algodão de Jandaíra), Curimataú (Barra de Santa Rosa), Poleiros (Barra de Santa Rosa), Cacimba de Várzea (Cacimba de Dentro), Gramame/Mamuaba (Conde), Araçagi (Araçagi), Covão (Areial), Lagoa do Matias (Bananeiras), Jangada (Mamanguape), Sindô Ribeiro (Massaranduba), Cochos (Igaracy), Pimenta (São José de Caiana), Tavares II (Tavares), Epitácio Pessoa (Boqueirão), São José II (Monteiro), São Paulo (Prata), Chã dos Pereiras (Ingá), Marés (João Pessoa), Olho dÁgua (Mari), São Salvador (Sapé), Gavião (Fagundes), Acauã – Argemiro de Figueiredo (Itatuba), Milhã – Evaldo Gonçalves (Puxinanã), Felismina Queiroz  (São Vicente do Seridó), Mucutu (Juazeirinho) e Namorado (São João do Cariri).

Atualmente, a Aesa monitora 121 açudes em todo o Estado da Paraíba. Diariamente, os observadores dos principais açudes informam os volumes registrados em cada reservatório. A partir destes dados, são divulgados os Boletins Diário e de Últimos Volumes Informados. Ao final do mês, os observadores enviam cadernetas com os dados oficiais dos volumes observados no mês, divulgados através do Boletim Mensal e do Boletim de Chuvas nas Bacias, que relaciona os volumes dos açudes com as chuvas ocorridas nas bacias.

 

Açudes que estão sangrando

 

Município Açude Capacidade Máxima (m3) Volume Atual (m3) % Volume Total Data
Serra da Raiz Suspiro 276.400 276.400 Sangrando 01/07/2011
Algodão de Jandaíra Algodão 1.025.425 1.025.425 Sangrando 01/06/2011
Barra de Santa Rosa Curimataú 5.989.250 5.989.250 Sangrando 01/07/2011
Barra de Santa Rosa Poleiros 7.933.700 7.933.700 Sangrando 13/07/2011
Cacimba de Dentro Cacimba de Várzea 9.264.321 9.264.321 Sangrando 28/06/2011
Conde Gramame / Mamuaba 56.937.000 56.937.000 Sangrando 18/07/2011
Araçagi Araçagi 63.289.037 63.289.037 Sangrando 01/07/2011
Areial Covão 672.260 672.260 Sangrando 09/06/2011
Bananeiras Lagoa do Matias 1.239.883 1.239.883 Sangrando 01/07/2011
Mamanguape Jangada 470.000 470.000 Sangrando 01/07/2011
Massaranduba Sindô Ribeiro 3.022.715 3.022.715 Sangrando 13/07/2011
Igaracy Cochos 4.199.773 4.199.773 Sangrando 08/07/2011
São José de Caiana Pimenta 255.744 255.744 Sangrando 11/07/2011
Tavares Tavares II 9.000.000 9.000.000 Sangrando 01/06/2011
Boqueirão Epitácio Pessoa 411.686.287 411.686.287 Sangrando 18/07/2011
Monteiro São José II 1.311.540 1.311.540 Sangrando 06/05/2011
Prata São Paulo 8.455.500 8.455.500 Sangrando 02/05/2011
Ingá Chã dos Pereiras 1.766.100 1.766.100 Sangrando 09/06/2011
João Pessoa Marés 2.136.637 2.136.637 Sangrando 18/07/2011
Mari Olho dÁgua 868.320 868.320 Sangrando 01/07/2011
Sapé São Salvador 12.657.520 12.657.520 Sangrando 01/07/2011
Fagundes Gavião 1.450.840 1.450.840 Sangrando 13/07/2011
Itatuba Acauã (Argemiro de Figueiredo) 253.000.000 253.000.000 Sangrando 18/07/2011
Puxinanã Milhã (Evaldo Gonçalves) 802.684 802.684 Sangrando 12/07/2011
São Vicente do Seridó Felismina Queiroz 2.060.000 2.060.000 Sangrando 01/07/2011
Juazeirinho Mucutu 25.370.000 25.370.000 Sangrando 09/05/2011
São João do Cariri Namorado 2.118.980 2.118.980 Sangrando 01/07/2011

Cagepa trabalha para restabelecer abastecimento

 

O presidente da Companhia de Água e Esgotos da Paraíba (Cagepa), Deusdete Queiroga, tranquilizou a população das cidades paraibanas que tiveram seu abastecimento prejudicado pelas fortes chuvas que caíram no Estado nos últimos dias. “Todas as equipes da Cagepa estão concentradas para que o abastecimento em nas cidades atingidas seja restabelecido o mais rápido possível”, afirmou, acrescentando que três equipes da empresa estão na Estação Elevatória de Marés, em João Pessoa, trabalhando nos equipamentos que foram danificados pela inundação da casa de bombas.

“Tais equipamentos estão em uma estufa especial, em processo de secagem, para então serem recuperados e postos em funcionamento”, ressaltou, salientando que os técnicos da Cagepa conseguiram evitar que a inundação também atingisse a casa de bombas da Estação de Gramame, fato o que prejudicaria o abastecimento de 70% da Capital e toda a cidade de Cabedelo.

Para minimizar os transtornos nos bairros que são abastecidos pelo reservatório que fica no bairro da Torre (Jaguaribe, Jardim Treze de Maio, Ipês, Mandacaru, Expedicionários, Tambauzinho, Bairro dos Estados e Pedro Gondim), a Cagepa colocou em operação o poço da Mata do Buraquinho. Este reservatório também está recebendo reforço através de uma subadutora de água vinda do reservatório localizado na Avenida Ruy Carneiro, que é abastecido pela barragem de Gramame. “Essa é uma medida de emergência, pois sabemos que a população sofre com a falta d’água. Nos próximos dias os outros sistemas serão retomados. O esforço é que a partir desta terça-feira, alguns bairros já voltem a ser abastecidos”, completou.

Regional Litoral – Outras cidades da região litorânea também sofreram as consequências das fortes chuvas. A cheia do Rio Paraíba causou prejuízos aos sistemas de Salgado de São Félix, Mogeiro e Itabaiana (que abastece as cidades de Pilar, Juripiranga, São José dos Ramos e Boqueirão de Gurinhém). Nas duas primeiras cidades, o sistema elétrico foi recuperado e o reservatório está elevando seu nível. Em Alhandra e Conde, a enchente inundou poço que abastece as duas cidades. Equipes da Cagepa tentam chegar ao sistema de Itabaiana, mas o acesso está prejudicado devido às fortes chuvas.

Regional Brejo – As atenções estão voltadas à cidade de Alagoa Grande, onde as duas adutoras (Serra Grande e Quinze) tiveram parte de sua tubulação levada pela cheia do rio Mamanguape. Adutoras também foram levadas nas cidades de Caldas Brandão e Gurinhém, mas em todas elas as equipes da Cagepa estão trabalhando para restabelecer o abastecimento. Em Alagoa Grande, a previsão é que isso aconteça já nesta quinta-feira (21).

Regional Borborema – O rompimento da adutora de 800 milímetros de Gravatá prejudicou o abastecimento de oito cidades, dois distritos e grande parte da cidade de Campina Grande. Estão com o abastecimento prejudicado, as cidades de Ingá, Aroeiras, Alagoa Nova, São Sebastião de Lagoa de Roça, Matinhas, Lagoa Seca, Pocinhos, Areia, Riachão do Bacamarte e os distritos de Galante e São José da Mata. Nestas outras cidades a Cagepa também trabalha em seu esforço máximo para restabelecer o abastecimento o mais rápido possível.

DER divulga relação de rodovias e pontes atingidas

O Departamento de Estradas e Rodagem da Paraíba (DER/PB) ainda está fazendo o levantamento completo das estradas e pontes que foram atingidas pelas últimas chuvas que caíram em todo o Estado. Até o momento o departamento já contabilizou seis pontes danificadas e quatorze rodovias paraibanas que precisam de manutenção urgente.

Dentre as cidades mais atingidas pela força da água encontra-se Ingá, onde a ponte que liga a cidade foi danificada e o acesso interditado. Outro ponto do Estado que foi bastante atingindo pelas chuvas é a Ponte da Batalha, localizada na PB-004. A ponte está interditada e o tráfego suspenso para averiguação por parte da equipe do DER.

De acordo com a diretoria de manutenção do DER, o valor orçado para recuperação das rodovias e pontes que foram atingidas pelas chuvas chega a R$ 5 milhões.

Rodovias e pontes atingidas

PB-066 – Ponte da Cidade de Ingá – danificada/interditada

PB-004 – Ponte da Batalha – caiu o encontro da ponte/interditada

PB-063 – Ponte da cidade de Gurinhém – submersa/interditada

PB-073 – Ponte Rio Mamanguape – erosão

PB-074 – Ponte da Cidade de Itabaina – danificada

PB-054 – BR-230/Itabaiana – Danificada/interditada

PB-079 – Alago Grande/areia – danificada

PB-138 – Ponte que liga Campina Grande/ Catolé de Boa Vista

PB-048 – Pilar/Juripiranga – Estrada alagada

PB-082 – Salgado São Félix/ Barragem Acauã – estrada danificada

PB-097 – Alagoa Nova/ Serra de Areia – estrada danificada

PB-090 – Itatuba/ Aroeiras – estrada danificada

PB-051 – BR-230/ Caldas Bradão – estrada danificada

PB-034 – Caaporã – estrada danificada

PB-008 – Proximidades de Acaú – deslizamento de barreira.