João Pessoa
Feed de Notícias

Defensoria inaugura Núcleo de Atendimento em Guarabira

quinta-feira, 4 de dezembro de 2014 - 12:33 - Fotos: 

Os moradores das cidades de Guarabira, Cuitegi e Pilõezinhos têm agora um novo local de atendimento da Defensoria Pública. É que foi inaugurado em Guarabira o Núcleo de Atendimento da Defensoria Pública Regional. A solenidade,   realizada nesta segunda-feira (1), foi presidida pela gerente de Atendimento da DPEPB, defensora Fátima Marques. O Núcleo fica na Rua Napoleão Laureano, salas 104 e 105, Edifício João Rafael, Centro.

Antes, os serviços da DPEPB  eram oferecidos  em uma sala do Fórum Estadual Augusto de Almeida. “Com as novas instalações a instituição poderá aumentar o número de atendimentos, além de oferecer mais conforto  à população.”, destacou a defensora Ana Monte, que faz parte da equipe responsável pela assistência jurídica gratuita naquela Comarca.

Com o Núcleo instalado a demanda de atendimento vai aumentar. A expectativa é de receber diariamente  uma média de 50 pessoas. A equipe que atende em Guarabira tem à frente os defensores Ana Monte, Berthezene Martins, Odonildo Mangueira,  Marcos Melo, além de um grupo de estagiários. Para a dona de casa Josenilda Ramalho, o Núcleo de Atendimento vai melhorar a qualidade dos serviços prestados pela Defensoria, porque o prédio é climatizado, informatizado e com salas mais confortáveis.

A inauguração contou com a presença dos representantes da OAB-PB, Júlio César Nunes e Bruno Augusto,  representante do Tribunal de Justiça, Maria da Luz de Lima, e  representantes do Conselho Tutelar Elisangela Santos e Thiago Vitorino.

Atendimentos – Os defensores atuam em ações nas Varas de Família, Cível, Criminal e Fazenda Pública. Prestam atendimento e orientação em casos de divórcio, união estável, pensão alimentícia de filhos, regulamentação de visitas, comprovação de paternidade, em acidentes de transito, indenizações, na violação dos direitos da criança e adolescente; dos idosos; em recusa de assistência médica e fornecimento de medicamentos pelo SUS; em negativas de planos de saúde na prestação de algum atendimento previsto em contrato; nos casos de agressão à mulher e nas relações de consumo.