Fale Conosco

22 de novembro de 2010

Davi Fernandes faz discurso marcado pela emoção, na abertura do Salão Internacional do Livro



Um momento de muita emoção marcou a abertura, na manhã de sábado, no Espaço Cultural José Lins do Rego, do I Salão Internacional do Livro da Paraíba. O subsecretário de Cultura do Estado, professor Davi Fernandes, que preside o comitê organizador do evento, não segurou as lágrimas ao encerrar o seu discurso com uma citação de Mário Quintana, dedicada ao governador José Maranhão: “Que importam as cinzas, se a chama foi alta e bela”.

Davi ressaltou que a realização do Salão é o coroamento de uma forte ação do Governo do Estado na cadeia produtiva do livro e da leitura. “Começamos com o objetivo de zerar o déficit de bibliotecas municipais no estado. Segundo a Fundação Getúlio Vargas, havia 15 municípios que não tinham bibliotecas. Colaboramos com o Ministério da Cultura, e hoje todos os municípios receberam o kit com acervo, mobiliário e uma estação digital”, assegurou.

O subsecretário informou que também estão sendo modernizadas 25 bibliotecas municipais, com um investimento superior a R$ 1,3 milhão, e lembrou que, por ocasião do I Encontro do Livro, Leitura e Biblioteca, foram lançadas as diretrizes para a criação de uma política para a área. “Esperamos que esta política seja consolidada durante o Fórum que realizaremos neste evento”, destacou.

O projeto Livro de Bolso, segundo David, já foi apresentado ao governo federal. “Embora os recursos do projeto estejam contingenciados no Ministério da Cultura – prosseguiu o subsecretário -, é um excelente projeto apresentado, e que fará com que o estado distribua gratuitamente livros clássicos paraibanos, com o cuso de R$ 1”. O edital para a instalação de dez pontos de leituras, já em fase de seleção, com prêmio de R$ 20 mil para cada iniciativa, foi outra ação citada.

Ele ressaltou que o Salão é o “ponto de encontro” de toda cadeia produtiva do livro e da leitura. “Aqui estão os produtores do texto, os editores, os livreiros, os autores e os leitores. Aqui está o Governo, que tem a tarefa de estimular, de incentivar esse processo”, acentuou. “É um Salão que está apenas começando, e esse estado o merece. Ele poderá ser um dos mais importantes do país, pois nós temos a honra de possuir grandes universidades, grandes escritores, grandes escolas, grandes autores e, principalmente, grandes leitores, e novos leitores que vamos conquistar”, acrescentou.

Davi agradeceu o empenho de todos os patrocinadores  e dos participantes da cadeia do livro, ao governador José Maranhão e ao secretário de Educação do Estado, Sales Gaudêncio, e à comissão organizadora, “que generosa e bravamente cedeu parte de seu tempo e de suas vidas, para que esse projeto desse certo”.

Uma especial homenagem foi feita, também, pelo subsecretário, à bibliotecária Marília Guedes. “Essa mulher guerreira, há 15 anos tentava entabular um evento do livro, na Paraíba. Acho que seus olhos devem estar marejados (Marília estava presente à solenidade de abertura) com esse momento. Taí, Marília, temos um Salão Internacional”, comemorou.

O I Salão Internacional do Livro da Paraíba é promovido pelo Governo do Estado, Sebrae e Associação Nacional de Livrarias (ANL), com apoio cultural do Ministério da Cultura (MinC), Bibliotecas Braille & Comunitárias, Academia Paraibana de Letras (APL), Fundação Bradesco e Universidade Federal da Paraíba (UFPB).

Serviço
Evento: I Salão Internacional do Livro da Paraíba
Data: 20 a 28 de novembro de 2010
Horário: Das 10h às 22h
Local: Fundação Espaço Cultural da Paraíba
Entrada: Grátis

Assessoria de Imprensa
Thais Cirino – 8837-3695
William Costa – 9915-2558
Alex Lacerda – 8885-7773
Ricardo Anísio – 9314-6308