Fale Conosco

4 de junho de 2009

Damião Ramos participa do “Dia Temático a José Lins do Rego”, em Pilar



O diretor do Iphaep – Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico do Estado da Paraíba, professor Damião Ramos Cavalcanti, esteve em Pilar, nesta quarta-feira (3) para uma missão diferente: debater o significado da cultura e como o relativismo cultural se manifesta no universo literário de José Lins do Rego, autor de “Menino de Engenho”, e “Meus Verdes Anos”. O evento, “Dia Temático a José Lins do Rego”, aconteceu na Casa de Câmara e Cadeia, imóvel onde hoje funciona a Fundação Menino de Engenho.

Antes da palestra, foi exibido um vídeo mostrando as belezas patrimoniais de Pilar, ao som do Hino da Cidade. Ao apresentar o currículo do convidado Damião Cavalcanti, a comissão organizadora fez um relato sentimental do palestrante, que nasceu em Pilar, mas passou parte da infância em Itabaiana e João Pessoa. E foi exatamente com este tom memorialístico que Damião lembrou quando ainda moleque e “fugia” de casa para visitar a Casa de Câmara e Cadeia, tomar banho no rio Paraíba ou observar o cenário literário de Zélins – em especial, o Engenho Corredor.

Diante de uma platéia composta por professores e alunos da rede municipal, além de agentes culturais das cidades vizinhas, ele definiu a cultura desde os primórdios da vida humana e como o relativismo possibilita que diferentes valores se manifestem em culturas diversas.
Por fim, Damião citou obras de José Lins do Rego – “Menino de Engenho”, “Moleque Ricardo” e “Riacho Doce” – e destacou: “Apesar das culturas diferentes que retratou em suas obras, o mais importante, e o que jamais deve ser esquecido, é que ele foi um escritor nascido em Pilar e tornou-se um grande nome da literatura brasileira e mundial”. Segundo Damião Cavalcanti, “é preciso, sempre, que nas escolas os alunos conheçam o exemplo de Zélins, para que possam, inclusive, despertar suas vocações de escritor”.

A prefeita de Pilar, Virgínia Veloso; e a secretária de Educação do município, Maria das Graças Lima, revelaram que outras ações começam a ser implementadas, para valorizar o universo de José Lins do Rego: a Praça principal está sendo restaurada; um imóvel situado no Centro Histórico será revitalizado, para funcionar como centro cultural, e também a Igreja Matriz será recuperada.

O encontro foi encerrado com a exibição do documentário “O Engenho de Zélins”, do diretor itabaianense Vladimir Carvalho.

Em Corredor – A equipe do Iphaep aproveitou a ida à Pilar e também esteve no Engenho Corredor, para observar o início das obras emergenciais realizadas no imóvel, que pertenceu ao avô de José Lins do Rego.

No mês passado, o diretor Damião Ramos Cavalcanti pode constatar que a Prefeitura de Pilar havia limpado todo o terreno do engenho e seu entorno. Desta vez, segundo a arquiteta Cristina Evelise, chefe da Divisão de Fiscalização, Infração e Multas do Iphaep, os proprietários Alba e Joaquim Soares já iniciaram a recuperação da coberta e do piso da casa-grande.

“De acordo com as orientações do laudo do Iphaep, eles começaram os serviços: estão sendo substituídos os caibros roliços e ripas, que estavam velhos, por novos do mesmo tipo”; disse Cristina. “Além disso, foi realizada a desinfestação dos cupins, que infestavam as madeiras das cobertas”.

Thamara Duarte, do Iphaep