Fale Conosco

13 de maio de 2014

Custo de vida sobe 1,46% no mês de abril em João Pessoa



O Índice de Preços ao Consumidor (IPC) da cidade de João Pessoa apresentou um acréscimo nos preços médios de 1,46% no mês de abril, segundo o Instituto de Desenvolvimento Municipal e Estadual (Ideme). Com esse resultado, o acumulado do índice nos últimos 12 meses é de 9,47%, enquanto que o anual já corresponde a 3,75%. Dos sete grupos que compõem o estudo, quase todos apresentaram variações positivas entre 0,20% a 6,23%, como foi registrado nos gastos com gêneros alimentícios. A exceção foi o grupo Vestuário, que registrou um decréscimo de 3,19%.

A alta nos preços médios dos itens que compõem o grupo Alimentação no mês de abril/14 foi identificada, principalmente, nas hortaliças e verduras (31,79%), nos pescados (22,92%), nos tubérculos e raízes (11,21%), nas frutas (8,60%), nas carnes e peixes industrializados (8,04%) e nas aves e ovos (6,14%). Nos demais grupos do IPC, as variações positivas foram as seguintes: 2,51%, nos serviços e produtos relativos à Saúde e Cuidados Pessoais; 1,11% para os Artigos de Residência; 0,42% para Habitação; 0,27% para Serviços Pessoais, e 0,20% para Transporte e Comunicação.

Em abril, apenas o grupo Vestuário registrou decréscimo de 3,19%, sendo justificado pelas quedas de preços médios nos itens como: joias e tecidos (15,55%), roupa de mulher (2,61%) e roupa de criança (0,30%). Apesar da deflação, no grupo ainda foram verificados aumentos nos itens roupa de homem (2,86%) e calçados (0,70%).

Levando-se em consideração apenas os reajustes individuais registrados no IPC de João Pessoa, os produtos cujos preços mais aumentaram em abril segundo o Ideme foram: batata inglesa (50,94%), coentro (40,06%), alface (32,66%), feijoada enlatada (31,89%), camarão (25,00%), peixe fresco (22,38%), macaxeira (18,85%), molho para macarrão (16,11%), tomate (14,59%), laranja pera (14,22%), mamão (13,76%), chuchu (11,77%), repolho (11,35%), uva branca (11,07%), charque de 2ª (10,71%) e banana (10,06%). Para conferir o estudo na íntegra, basta acessar www.ideme.pb.gov.br.