Fale Conosco

5 de novembro de 2012

Curso vai capacitar profissionais para o controle e manejo de escorpiões



Começou nesta segunda-feira (5), em João Pessoa, a capacitação de 40 profissionais (técnicos, enfermeiros e médicos veterinários) sobre o Controle e Manejo de Escorpiões. Os profissionais trabalham nas Gerências Regionais da Secretaria de Estado da Saúde, Laboratórios de Entomologia, e centros de Assistência Toxicológica (Ceatox) e de Controle de Zoonoses. O curso termina na próxima sexta-feira (9) e está sendo realizado no auditório do Hotel Ouro Branco.

O chefe do Núcleo de Controle de Zoonozes da SES, Francisco de Assis Azevedo, falou sobre a parceria firmada  entre a Secretaria de Vigilância em Saúde e o Ministério da Saúde (MS). “Este ano, alguns dos profissionais do estado tiveram a oportunidade de visitar e saber mais sobre o trabalho realizado no Instituto Butantã e, assim trocar valiosas informações acerca do controle e manejo de escorpiões. Contudo, verificamos uma necessidade ainda maior de ampliar esta capacitação tornar mais de nossos profissionais multiplicadores de um trabalho que o Ministério da Saúde já vem desenvolvendo em vários estados.”

A Paraíba é o sétimo Estado a ser capacitado sobre o tema. Esta, no entanto, é a primeira vez que um curso de capacitação, voltado especificamente para o controle e manejo de escorpiões, é oferecido aos profissionais paraibanos. “Anualmente, nossos profissionais participam de capacitação que envolve todo o leque de animais peçonhentos. Normalmente, são dois dias destinados às particularidades dos escorpiões. Desta vez, todo o curso, que tem duração de cinco dias, será dedicado ao controle e manejo deste animal, em específico”, enfatizou Francisco de Assis.

Na capacitação iniciada nesta segunda-feira, os profissionais além de receberem material informativo, incluindo o Manual de Controle de Escorpiões do Ministério da Saúde, serão orientados por monitores do órgão federal e ainda participaram de atividades práticas, em campo e em laboratório.

Na parte teórica da capacitação os participantes vão receber informações de como reconhecer e diferenciar os escorpiões e a importância epidemiológica e características biológicas e na prática eles vão aprender a executar ações de captura e manejo de escorpiões em diferentes ambientes, com especial atenção à zona urbana.

O Coordenador de Controle de Animais Peçonhentos do Ministério da Saúde, Guilherme Carneiro, referendou a iniciativa do Governo da Paraíba em promover e tornar possível a realização deste curso de capacitação. Em suas considerações na abertura do curso, Guilherme reafirmou a preocupação do Governo Federal no que se refere à grande incidência do número de casos de picadas de escorpiões registradas no Brasil. “As estatísticas comprovam que crianças e pessoas idosas são as vítimas mais comuns dos ataques dos escorpiões. E do total de casos registrados, a maior parte acontece na zona urbana, em que o contato dos animais e população é mais frequente. Por isso, precisamos estruturar o Programa para Controle e Manejo de Escorpiões, de modo que em todos os estados tenhamos uma estratégia de controle unificada, de procedimento padrão”.

Ao contrário do que se pensa, os acidentes envolvendo picadas de escorpiões não se restringem à sazonalidade climática, até porque devido às alterações cada vez mais evidentes, em algumas regiões, estes animais têm se apresentado ativos durante o ano todo. O aumento da incidência, no entanto, é perceptível nesta época do ano, vinda de forte calor e de chuvas freqüentes os escorpiões saem dos seus esconderijos em busca de alimento. “Ano a ano o número de casos de picadas de escorpiões aumenta e, muitas vezes, quase duplica. Isso porque ainda temos muita dificuldade no manejo adequado para coleta, em relação à identificação das espécies e disseminação das informações para prevenção do aparecimento dos animais. Precisamos saber evitar as condições favoráveis para o aparecimento dos escorpiões e assim atuar com a visão preventiva e não puramente assistencial”, informou o Chefe do Núcleo de Controle de Zoonozes da SES.

Na necessidade de atendimento na Paraíba, as vítimas devem procurar os Ceatox de João Pessoa e Campina Grande, localizados nos hospitais universitários das respectivas cidades, o Hospital Edson Ramalho (João Pessoa), além do Hospital Regional de Patos e as unidades hospitalares de Cajazeiras, Princesa Isabel, Sousa e Guarabira.

Dicas – Para afastar os escorpiões das residências, a principal orientação é: na área externa do domicílio manter  limpos quintais e jardins, não acumular folhas secas e lixo domiciliar; acondicionar lixo domiciliar em sacos plásticos ou  outros  recipientes apropriados e fechados, e entregá-los para o serviço de coleta.

Não jogar lixo em terrenos baldios; limpar terrenos baldios situados a cerca de dois metros (aceiro) das redondezas dos imóveis; eliminar fontes de alimento para os escorpiões: baratas, aranhas, grilos e outros pequenos animais invertebrados; evitar a formação de ambientes favoráveis ao abrigo de escorpiões, como obras de construção civil e terraplenagens que possam deixar entulho, superfícies sem revestimento, umidade etc; remover periodicamente materiais de construção e lenha armazenados, evitando o acúmulo exagerado; evitar queimadas em  terrenos baldios, pois desalojam os escorpiões; remover folhagens, arbustos e trepadeiras  junto às paredes externa e muros; rebocar paredes externas e muros para que não apresentem vãos ou frestas.

Na área interna do domicílio alguns cuidados também são precisos como: Rebocar paredes para que não apresentem vãos ou frestas; Vedar soleiras de portas com rolos de areia ou rodos de borracha; Reparar rodapés soltos e colocar telas nas janelas; Telar as aberturas dos ralos, pias ou tanques; Telar aberturas de ventilação de porões e manter assoalhos calafetados; Manter todos os pontos de energia e telefone devidamente vedados.