Fale Conosco

8 de outubro de 2013

Crimes contra a vida têm queda de 21,5% no mês de setembro na Paraíba



A Paraíba registrou redução de 21,5% nos crimes contra a vida ocorridos no mês de setembro e de 2,43% nos primeiros nove meses de 2013 em relação ao mesmo período do ano passado. Esses foram os principais números apresentados pelo governador Ricardo Coutinho e pelo secretário da Segurança e da Defesa Social, Cláudio Lima, à secretária Nacional de Segurança Pública, Regina Miki, durante reunião realizada no Palácio da Redenção. O encontro contou com a presença de gestores das polícias Civil, Militar e Corpo de Bombeiros e teve como objetivo avaliar as ações de enfrentamento da violência.

De acordo com o Núcleo de Análise Criminal e Estatística (Nace) da Secretaria de Estado da Segurança e da Defesa Social (Seds), em setembro de 2013 a Polícia contabilizou 102 Crimes Violentos Letais Intencionais (CVLI) – nos quais se classificam homicídios dolosos ou qualquer outro crime doloso que resulte em morte. Já em 2012, setembro teve 130 CVLI. É a maior queda registrada nesse mês nos últimos três anos. No comparativo de janeiro a setembro dos dois anos, a redução é de 28 casos de crimes cotra a vida, sendo1.122 em 2013 e 1.150 no ano anterior.

Os indicadores criminais ainda apontam que o número de homicídios vem caindo a cada trimestre na Paraíba. De janeiro a março, foram 418 casos; no segundo trimestre, a Polícia contabilizou 399; e de julho a setembro ocorreram 305 CVLI. Isso representa uma diminuição sucessiva de 4,5% e 23,5% dos crimes contra a vida na Paraíba.

Outro dado importante é que este ano o trabalho dos órgãos operativos de Segurança Pública conseguiu reduzir o número de vítimas de CVLI entre a faixa etária de 15 a 24 anos no comparativo de janeiro a setembro de 2012 e 2013. Ao todo, são 33 casos a menos.

Temos muitos pontos a avançar. Tivemos um primeiro trimestre ruim, um segundo trimestre difícil e nos últimos três meses estamos em uma faixa positiva. Julho, agosto e setembro foram meses importantes para garantir uma expectativa de redução no ano. Agora vamos para os últimos meses do ano e a nossa política de gestão é fundamental para bons resultados. Todos aqui estão convencidos de que essa é uma política de Estado e não pode ser confundida nem com Governo”, destacou Ricardo Coutinho.

Destaque – O governador ainda citou a cidade de Cabedelo como caso importante de redução de CVLI na Paraíba. “O município se situava, nos Mapas de Violência, como o 4º mais violento do Brasil. Em 2010, houve um aumento de 68% de crimes contra a vida. Na nossa gestão, conseguimos uma redução de 29% de 2011 para 2012 e neste ano podemos chegar a uma queda de 39%”, frisou. O chefe do Executivo também pediu atenção dos gestores de segurança para cidades como Catolé do Rocha, Sousa e Itabaiana, onde a Polícia tem registrado casos de violência.

O secretário Cláudio Lima destacou a presença de representantes do Judiciário, Ministério Público e Defensoria Pública, além de outras secretarias de Estado, como a Administração Penitenciária, na reunião de monitoramento, que acontece mensalmente com a presença do governador. Ele também citou diversas prisões e apreensões de armas e drogas realizadas no Estado no mês de setembro e início de outubro. “Trabalhamos Segurança Pública como um sistema, no qual todos os órgãos devem estar integrados a fim de reduzir a violência, principalmente os homicídios, no Estado. Em 2012 tivemos uma redução de 8,21% em relação ao ano anterior e em 2013 acreditamos que podemos continuar com bons resultados”, afirmou.

A secretária nacional Regina Miki falou sobre a importância da redução de homicídios na Paraíba e no Nordeste. “Eu estou vendo com bons olhos esses números descendentes no Nordeste do país. Porque nós tivemos, nos últimos Mapas da Violência, essa região impactando o restante do país na curva ascendente de homicídios. Se nós trouxermos a curva no Nordeste para a descendência, nós conseguiremos baixar os índices de homicídios no país. A gente tem acompanhado Alagoas, Sergipe, Paraíba, nesse sentido”, frisou.

A secretária ainda ressaltou o papel da imprensa no enfrentamento à violência. “A nossa imprensa noticia aquilo que não dá certo e isso causa uma insegurança imensa. Nós trabalhamos não só com os números, mas como uma sensação que é difícil de se medir, que é a sensação de insegurança. E ela é cada vez mais provocada pelo temor que é passado às pessoas. Nós sabemos que tem uma indústria do crime que se satisfaz com essa insegurança e que gira muito dinheiro em torno disso. A imprensa brasileira tem que começar a valorizar os profissionais e dizer aquilo que é feito de correto para que a gente também possa ter da sociedade o respeito que merecem as instituições. É um risco, no Estado democrático de direito, as instituições serem enfraquecidas, principalmente a Polícia”, alertou.

Redução de homicídios de mulheres – Os números da Segurança também são positivos em relação à redução de crimes contra a vida de mulheres. De janeiro a setembro de 2013, foram 89 casos, contra 112 no mesmo período de 2012. A queda é de 21%.

As vítimas do sexo feminino representam 8% do total de CVLI registrados no Estado, sendo as cidades onde mais ocorre esse tipo de crime João Pessoa (28) e Campina Grande (12). Em 188 cidades, segundo o Nace, não houve registro de crimes contra a vida de mulheres na Paraíba, nos nove primeiros meses do ano.

Apreensão de armas e drogas – Nos nove primeiros meses do ano, as Polícias apreenderam 506,7 quilos de entorpecentes, entre maconha (407), crack (79,2) e cocaína (20,5). Foram 1.743 ocorrências de apreensão de drogas na Paraíba.

Destaca-se a cocaína, com aumento de 253% na quantidade apreendida se comparada ao mesmo período de 2012. Também foram apreendidos três quilos a mais de maconha.

Já o número de armas apreendidas no período foi de 1.953, sendo 83% das apreensões realizadas pela Polícia Militar. As armas mais apreendidas são revólveres, espingardas e pistolas.