João Pessoa
Feed de Notícias

Crianças estão entre as principais vítimas de intoxicações

quarta-feira, 28 de janeiro de 2015 - 11:28 - Fotos: 

Crianças estão entre as principais vítimas das chamadas intoxicações exógenas, aquelas decorrentes de exposição a substâncias químicas encontradas no ambiente ou isoladas. Entre elas estão  medicamentos, drogas lícitas e ilícitas, veneno, cloro, sabão em pó, água sanitária e plantas. No ano passado, 92 casos dessas intoxicações foram atendidos no Complexo de Pediatria Arlinda Marques, que integra a rede estadual de saúde.

De acordo com a coordenadora do núcleo de epidemiologia do hospital, Thaisa Marta Pereira dos Santos Chaves, analisando os dados constata-se que o maior número de notificações por intoxicação exógena foi motivado por medicamento, com registros de casos em quase todos os meses do ano. A maior incidência foi em janeiro e julho, com 12 e 16 casos, respectivamente. Esses períodos correspondem às férias escolares, quando as crianças passam mais tempo em casa.

A intoxicação resulta do contato com substâncias psicoativas, e se caracteriza por distúrbios no nível de consciência, cognição, percepção, julgamento, afeto ou comportamento, ou outra resposta ou função psicofisiológica. Os distúrbios são associados aos efeitos farmacológicos e respostas à substâncias e os efeitos desaparecem com o decorrer do tempo, até a recuperação completa, exceto quando há lesões teciduais ou outras complicações.

O tratamento de intoxicação exógena compõe-se de observação clínica para verificar a involução ou não dos sintomas e terapia de suporte. Para intoxicações por ingestão, acrescenta-se a lavagem gástrica, somente se realizada em até uma hora após a ingestão, e a administração de carvão ativado. Provocar vômito é totalmente contra-indicado em qualquer caso.

Sobre o hospital – O diretor geral do hospital, Bruno Leandro de Souza, explicou que o Arlinda Marques hoje é referência no atendimento de média e alta complexidade em pediatria na Paraíba. Ele destacou que o Governo do Estado tem buscado firmar parcerias com entidades e órgãos com o objetivo de melhorar a qualidade da prestação do serviço de saúde.

No campo da profissionalização, o Arlinda Marques dispõe do programa de Residência Médica, uma modalidade de ensino de pós-graduação destinada a profissionais da área sob a forma de curso de especialização. Ela funciona em instituições de saúde sob a orientação de profissionais médicos de elevada qualificação ética e profissional. É o que prevê o decreto 80.281, de 5 de setembro de 1977, que a regulamenta. Esses programas são credenciados e reconhecidos pela Comissão Nacional de Residência Médica (CNRM).

Prevenção – As crianças não têm capacidade de avaliar o perigo oferecido por objetos que encontram em casa, e que na sua visão podem transformar-se num brinquedo muito interessante.

Botões, tampas e rolhas de garrafas, moedas, pregos pequenos, parafusos e até brinquedos com peças demasiado pequenas são uma atração irresistível para crianças de até 3 anos, que gostam de levar tudo à boca. O grande risco dessas peças é provocar engasgamento e  sufocamento.

Causas dos acidentes

As quedas são a principal causa de acidentes domésticos com crianças. Seguem-se os cortes, as queimaduras e as intoxicações.

Atitudes que podem salvar

Não se limite a proibir as crianças de fazerem isto ou aquilo; deve-se procurar ensiná-las e alertá-las para os riscos que certos atos envolvem, para que elas possam desenvolver a noção do que é o perigo e do que são comportamentos perigosos. Mesmo quando as crianças são pequenas e a explicação requer muita paciência.

E, sobretudo, dê o exemplo: as crianças imitam os adultos.

Sempre que necessário, explique à criança porque as suas ações lhe são permitidas a si e a ela não, apontando razões de idade, capacidade, responsabilidade, segurança, etc.

Cuidados com medicamentos

  • Todos os medicamentos devem ser guardados fora do alcance das crianças, em lugares altos e, de preferência, em armários ou caixas bem fechadas;
  • Não tome, nem dê medicamentos sem prescrição ou orientação médica;
  • Não deixe os seus medicamentos ao alcance das crianças e, de preferência, não os tome à frente delas, pois estas tendem a imitá-lo;
  • Não use remédios cujo prazo de validade já expirou ou cujas embalagens estão deterioradas. Junte-os e entregue-os na farmácia mais próxima.

Cuidados com escadas

  • As escadas devem ter um corrimão de apoio e o piso não deve ser liso (escorregadio);
  • Se tem crianças pequenas, principalmente se estão na fase de gatinhar ou a começar a andar, coloque proteções e barreiras (portões) em todos os acessos da casa às escadas;
  • Não se esqueça de fechar as proteções e barreiras dos acessos às escadas depois de passar. Um portão mal fechado é como se não existisse.

Cuidados com janelas e varandas

  • Coloque grades ou redes de proteção em todas as janelas e varandas. São as únicas formas de evitar acidentes graves em apartamentos. Uma porta ou uma janela aberta representam um grande perigo. Há muitas quedas de crianças em consequência de janelas e portas abertas.

Cuidados com piscinas, lagos, lagoas e até na praia

  • Nunca deixe a criança sozinha perto de uma piscina, mesmo que esta seja própria para ela;
  • Nunca deixe uma criança sozinha na piscina, seja em que circunstância for. Muitos afogamentos de crianças até aos 4 anos ocorrem porque os adultos se ausentam por “um minuto”, para atender o telefone, ir buscar o lanche, etc.
  • Esteja atento às brincadeiras das crianças na água;
  • Coloque braçadeiras ou coletes às crianças que não sabem nadar, mesmo quando elas estão a brincar ao pé da piscina. Se escorregarem e caírem para dentro da água estarão mais protegidas;
  • Se tem piscina em casa, coloque uma vedação ou tela de proteção à volta, de forma a impedir que a criança tenha acesso à água.

Cuidados na cozinha

  • Não deixe crianças sozinhas na cozinha;
  • Guarde facas e objetos cortantes em locais pouco acessíveis;
  • Não deixe tachos e panelas ao lume sem ninguém na cozinha e tenha especial cuidado com líquidos quentes, como sopa ou água a ferver, já que queimaduras com líquidos quentes são frequentes em crianças;
  • Não deixe os bicos do fogão ligados quando acaba de cozinhar;
  • Vire os cabos das frigideiras para o interior do fogão, para evitar que as crianças tentem pegar-lhes;
  • Pode remover os botões do fogão quando este não estiver em uso;
  • Guarde bem os fósforos, pois as crianças não têm medo do fogo e certas brincadeiras podem provocar incêndios;
  • Torradeiras, bules, garrafas térmicas e outros equipamentos devem ser mantidos fora do alcance das crianças;
  • Cuidado ao utilizar panelas de pressão. Cumpra sempre as indicações do fabricante;
  • Tenha cuidado na utilização do gás no fogão. Acenda o fósforo antes de abrir o gás. Se o seu fogão tiver acendedor elétrico, acenda primeiro o gás, no mínimo, e só então acione o acendedor;
  • Quando acender o forno, coloque-se de lado e não em frente do fogão;
  • Use apenas toalhas, aventais e panos de tecidos naturais. Evite usar roupa de tecidos sintéticos e aventais de plástico quando está a cozinhar;
  • Na utilização do microondas não cubra alimentos com papéis metalizados nem coloque, no seu interior, louças com decoração prateada ou dourados (causam faíscas).

Cuidados com produtos de limpeza e outros produtos tóxicos

  • Seja na cozinha, dispensa ou em qualquer outra divisão da casa ou no jardim, guarde estes produtos em locais inacessíveis a crianças e a animais;
  • Há fechos e protetores (inclusive cadeados) que impedem a abertura de armários e gavetas da cozinha ou de outros locais;
  • São produtos tóxicos, muitas vezes até inflamáveis, e a sua ingestão ou inalação pode ter consequências graves ou até fatais;
  • Nunca coloque detergentes, lixívia, inseticidas ou pesticidas em garrafas de água de plástico já usadas, porque as crianças podem ingerir o produto pensando ser água, resultando num acidente com grande gravidade.

Cuidados com eletricidade e tomadas

  • Se possível, todas as tomadas devem ter ligação terra;
  • Instale protetores adequados em todas as tomadas da casa, para evitar choques elétricos;
  • Esteja sempre alerta, pois uma tomada tem uma atração especial para as crianças que estão na fase de gatinhar ou até um pouco mais crescidas, parecendo os locais ideais para tentarem enfiar os dedos e os mais variados objetos.

Cuidados com objetos pontiagudos ou cortantes

  • Facas, tesouras, chaves-de-fenda e outros objetos perfuradores nunca devem ser dados às crianças para elas brincarem. Mantenha esses objetos em locais fechados e a que a criança não tenha acesso.

Cuidados com a tábua e o ferro de engomar

  • Nunca deixe o ferro ligado com o fio desenrolado e ao alcance das crianças. Além da alta temperatura, é perigoso pelo seu peso e pela ligação à eletricidade;
  • Evite o uso de tábuas de passar roupa que possam ser puxadas para baixo.

Cuidados com armas

  • Não tenha armas em casa. Se tiver, arrume-as ou guarde-as longe do alcance das crianças;
  • Nunca tenha as armas carregadas em casa;
  • Nunca deixe as munições junto à arma. Guarde-as em local seguro e inacessível às crianças.

Outros riscos

  • Nunca deixe bebidas alcoólicas ao alcance de crianças;
  • Procure ajuda médica, se o seu filho engolir uma substância não alimentar;
  • Anote os números dos telefones do seu pediatra, do hospital, dos centros de envenenamento e de outros centros de ajuda em local bem visível (por exemplo, ao pé do telefone);
  • Leia atentamente os rótulos das embalagens antes de usar qualquer produto;
  • Ensine as crianças a não aceitarem bebidas, comida, doces que lhes sejam oferecidos por adultos que não conhecem;
  • Não deixe que crianças com idade inferior a 10 anos andem sozinhas de elevador.