Fale Conosco

1 de setembro de 2011

Crianças aprendem artes cênicas e técnicas circenses na Funesc



Em uma aula que mais parece brincadeira, 20 crianças e adolescentes com idades entre 10 e 18 anos se reúnem às tardes para aprender técnicas de teatro e circo. O mestre é o ator e palhaço Dadá Venceslau que, todas as terças e quintas, das 14h às 17h, comanda a turma do curso infantil de teatro e circo, que faz parte do projeto Cultura em Movimento, realizado pelo Teatro de Arena da Fundação Espaço Cultural da Paraíba (Funesc), em João Pessoa.

Por meio de dinâmicas descontraídas que estimulam o entrosamento e a desinibição, as crianças voltam ao universo lúdico das brincadeiras de roda e cantigas infantis. Neste meio é acrescida a leitura e interpretação de textos clássicos e a prática do improviso. Com esses elementos, o curso introduz o aluno no universo das artes cênicas e circenses e ainda proporciona inúmeros benefícios ao seu desenvolvimento social e cognitivo.

Por serem interativas, as aulas estimulam o bom convívio social da criança e ajuda a desenvolver o poder criativo, mas o maior valor que eles aprendem é o respeito pela arte. Com os exercícios de interpretação, nos quais cada grupo prepara uma cena para apresentar aos colegas, todos, rigorosamente, ficam em silencio para assistir ao trabalho dos companheiros. Ao final de cada exibição as crianças aplaudem e comentam o desempenho no palco.

Segundo Dadá Venceslau as crianças participam das aulas com assiduidade e a evolução é nítida: “Eles adoram! Fazem as dinâmicas acreditando que estão brincando e conseguimos obter ótimos resultados até comportamentais. Na hora de apresentar as cenas escolhidas na aula eles se unem e abusam da criatividade para dar personalidade aos personagens que incorporam. Na hora de assistir um coleguinha, o silêncio é obrigação.”

A aluna Kellyane Fernandes tem 16 anos e já percebeu que com o curso vai melhorar, inclusive, o seu desempenho escolar. “Fiquei muito feliz com a oportunidade de fazer um curso de teatro. Ele nos ajuda até na escola, pois sei que vou perder a vergonha de apresentar trabalhos em público, além de treinar para realizar o sonho de ser atriz”.

Ao final do curso, em novembro, todos vão receber certificados, mas antes ainda precisam cumprir uma importante missão: a de produzir e apresentar o primeiro espetáculo de suas vidas. Os textos já estão escolhidos e a turma se dividirá entre as peças “Fantasmina” e “O Tesouro da Ilha Encantada”, ambas de autoria da paraibana Luciene Evans.