João Pessoa
Feed de Notícias

Criação de aves financiada pelo governo garante renda para famílias no Cariri paraibano

quinta-feira, 16 de abril de 2015 - 11:59 - Fotos:  Secom-PB

Com recursos de apenas R$ 2.400,00 obtidos do Plano Brasil Sem Miséria, o agricultor Gilvan Amorim de Freitas, do Sítio Areal, em Sumé, no Cariri paraibano, três meses depois passou a ter uma melhor condição de vida com uma renda proveniente da criação de galinhas caipiras. Assessorada pela Emater-PB, empresa integrante da Gestão Unificada Emater/Emepa/Interpa, vinculada à Secretaria de Desenvolvimento da Agropecuária e da Pesca, a família implantou um aviário onde mantém sua criação e, na semana passada, fez a primeira vendagem.

Mesmo ainda enfrentando algumas dificuldades porque as terras onde trabalha, uma área de 32 hectares pertencentes a sua irmã, Gilvan não desanima e tem como projeto para o futuro a compra da propriedade. Antes de decidir pela criação de galinhas, ele tinha sua renda proveniente de aluguel de pasto para os criadores da região, nem sempre dando bons resultados devido às estiagens prolongadas.

Foi quando, orientado por alguns amigos agricultores, procurou o escritório da Emater-PB em Sumé para saber como obter financiamento de um projeto produtivo nas terras de sua irmã. Feita uma avaliação da situação da propriedade, os extensionistas recomendaram a criação de galinhas caipira. Com os recursos de R$ 2.400,00 do Plano Brasil Sem Miséria construiu um aviário, adquiriu um lote de 200 pintainhos e três meses depois estava vendendo a produção. Na semana passada, fez a comercialização ao Programa de Aquisição de Alimentos.

Com a renda da produção de galinhas, mesmo tendo deixado algumas no criatório, teve um lucro líquido de R$ 2.388,00 com a venda de 150 galinhas, retirando as despesas de custos de produção de R$ 622,00.

Para o extensionista Geneilson Evangelista da Silva, do escritório da Emater em Sumé, com a escassez de chuvas do Cariri o agricultor buscou alternativa para melhorar a qualidade de vida da família, apesar de morar numa região com acesso difícil a água, encontrando na criação de galinhas uma saída, tendo em vista que se trata de um animal que consume pouca água. “Gradativamente, as políticas públicas estão chegando”, disse Geneilson.

Animado com o sucesso do empreendimento, Gilvan Freitas pretende fazer uma ampliação do projeto para a criação de galinhas de capoeira, utilizando a área em torno do aviário.  “Isso vai ser possível com o auxílio dos técnicos da Emater porque desde o primeiro momento estão juntos de todos nós e quando precisamos, orientam e acompanham nosso trabalho”.

O que deixou os técnicos animados foi a baixa mortalidade de galinhas. De um plantel de 200 galinhas, apenas dez morreram. “Isso mostra que o agricultor seguiu corretamente o manejo”, destacou o extensionista.