Fale Conosco

14 de julho de 2009

Correio das Artes comemora 60 anos e Governo lança edição especial



Será nesta quarta-feira (15), com a presença do governador José Maranhão, o lançamento da edição de aniversário de 60 anos do Correio das Artes. O evento, aberto ao público, acontecerá às 19h30, na Fundação Casa de José Américo, localizada à Av. Cabo Branco, 3.336, Cabo Branco.

Constam no número especial, poemas, contos, textos de crítica de cinema e literatura, depoimentos de leitores, colaboradores, escritores, personalidades do meio intelectual e acadêmico, autoridades governamentais e ex-editores do suplemento a respeito da importância do Correio das Artes para a cultura nacional.

Da programação do evento constam ainda: lançamento do Concurso Nacional de Contos e Poemas; lançamento do Concurso de Redação para alunos de 1º e 2º graus da Paraíba, tendo como tema os autores Augusto dos Anjos, José Américo de Almeida, José Lins do Rego, Paulo Pontes e Ariano Suassuna; lançamento do selo comemorativo (Correios e Telégrafos); lançamento do Projeto Itinerarte; entrega de Placa Comemorativa a ex-editores e a familiares do jornalista Edson Regis e do advogado Silvio Porto, fundadores do Correio das Artes.

O Correio das Artes, suplemento cultural do jornal A União, foi fundado em 27 de março de 1949 pelo poeta e jornalista pernambucano Édson Regis, seu primeiro editor. Desde seu número inaugural manteve o objetivo de contribuir com a literatura e a arte do Brasil, divulgando escritores e artistas e revelando novos valores.
 
Nestes 60 anos, passaram pela editoria do Correio dezenove nomes da literatura e do jornalismo. O suplemento teve um bom momento de prestígio nacional quando recebeu o prêmio de Melhor Divulgação Cultural em 1981 concedido pela Associação Paulista dos Críticos de Artes, sob a editoria do poeta Sérgio de Castro Pinto, passando a integrar, também, nessa fase, o acervo da Modern Language Association of America (USA), órgão que cataloga as principais publicações do mundo.

Sob a gestão do último ex-editor, poeta e jornalista Linaldo Guedes, o Correio das Artes alcançou maior visibilidade graças aos recursos que a internet oferece como blogues e malas diretas via email, tendo sido ademais modernizado pelas novas ferramentas do desenho gráfico.