João Pessoa
Feed de Notícias

Corpos de detentos assassinados no Roger ainda estão no DML

terça-feira, 21 de dezembro de 2010 - 18:30 - Fotos: 
Os corpos de pelo menos dois dos cinco detentos assassinados na chacina do Roger no domingo (19) ainda não foram retirados por seus familiares do necrotério do Departamento de Medicina Legal (DML), da Capital. São eles: Roberto Pereira da Silva, 20 anos, e André (ou Felipe) Ferreira dos Santos, 20 anos.

Roberto Pereira da Silva, o “Beto” era morador de rua. Nasceu em João Pessoa e era filho de Manoel Gomes Pereira da Silva e Josefa Ferreira Gomes da Silva ou Francisca Ribeiro da Costa.

André Ferreira do Santos, que atendia pelo nome de Felipe até a sua morte, era filho de Manoel Ferreira e Maria da Conceição Ferreira dos Santos.

“Felipe” era natural de Pernambuco, mas vivia nas ruas de João Pessoa há alguns anos. Possuia uma tatuagem de uma índia no braço esquerdo.

Segundo o diretor do Presídio do Roger, Irênio Pimentel, a dificuldade de contatar a família desses dois detentos se deve principalmente ao fato de eles estarem morando nas ruas quando foram detidos, sem contato com os familiares e sem qualquer documentação que comprovassem sua verdadeira identidade.

“Muitos dos detentos, como esses que foram barbaramente assassinados por seus companheiros de cela, passam meses, e até anos, sem receber qualquer visita ou manter contato com seus parentes. Isso dificulta o reconhecimento da identidade”, disse.

Angélica Nunes, da Secretaria de Administração Penitenciária