João Pessoa
Feed de Notícias

Corpo de Bombeiros lança campanha para evitar perda de crianças na praia

segunda-feira, 24 de janeiro de 2011 - 09:32 - Fotos: 
Policiais Militares do Corpo de Bombeiros do Estado da Paraíba estão empenhados no processo de conscientização dos pais ou responsáveis por crianças que frequentam a orla marítima de João Pessoa. Na manhã deste sábado (23), o comandante do Batalhão de Busca e Salvamento, capitão Artur Vieira, comandou a abertura de uma campanha de distribuição de pulseiras de identificação para serem colocadas nos braços das crianças. Feitas de material à prova d’água, as pulseiras têm espaços para identificação e número de telefone dos responsáveis, e trazem também o número 193 – Bombeiros.

No ato da distribuição das pulseiras, os militares e alunos do Curso de Formação de Soldados estão aproveitando para orientar as pessoas a prestarem atenção, não somente nos seus filhos ou nas crianças que estejam sob seus cuidados, mas também nas crianças de um modo geral. “Caso alguém observe uma criança desacompanhada, esta pessoa deve abordá-la, perguntar onde estão seus pais e encaminhá-la para junto dos seus responsáveis. Se o menor estiver perdido, deve-se então ligar para o número 193, se informar onde há um posto de guarda-vidas mais próximo e encaminhar a criança para os cuidados dos militares, os quais, com o apoio do CIOP (Centro Integrado de Operações Policiais), providenciarão o contato com os pais”, comentou o capitão Vieira.

Com presença fixa na faixa litorânea de João Pessoa que vai do Litoral/Gramame Sul ao final da praia de Manaíra (início do Retão), o efetivo militar do Batalhão de Busca e Salvamento que atua sob o comando do capitão Vieira dispõem de dez postos fixos e uma embarcação para garantir a segurança dos banhistas e demais frequentadores das praias da Capital. Na parte do Litoral Sul, as ocorrências atendidas estão mais relacionadas a afogamentos e resgate. Já na parte de Cabo Branco, Tambaú e Manaíra há maior incidência de crianças perdidas (uma média de quatro por dia), fato que motivou a campanha das pulseiras. “Nesta parte do litoral, por ser relativamente calma, é comum os pais se descuidarem de suas crianças, e estas acabam se perdendo”, ressaltou o capitão Vieira.