Fale Conosco

28 de fevereiro de 2018

Coordenadores de Vigilância de Saúde Ambiental participam de qualificação em Patos



ses alinhamento de sistema em vigilancia ambiental 270x191 - Coordenadores de Vigilância de Saúde Ambiental participam de qualificação em PatosCoordenadores de Vigilância de Saúde Ambiental da 3ª Macrorregião, que compreende municípios das áreas de Patos, Piancó e Princesa Isabel, participaram, na manhã desta quarta-feira (28) de uma qualificação de alinhamento de sistemas de Vigilância de Saúde Ambiental. A reunião aconteceu no auditório da 6ª Gerência, em Patos.

O encontro teve por objetivo atualizar os municípios para que passem a usar um mesmo formato de trabalho em relação à alimentação de dados dos sistemas SisPNCD, LIRA/LIA, FormSUS, SisÁgua, e GAL. “Isso é uma preocupação da Secretaria de Estado da Saúde, até para que os gestores não digam que os sistemas não foram alimentados por falta de informação, tanto da parte de vigilância laboratorial da água, quanto do SisPNCD, que faz o trabalho de notificação de dengue, de visita domiciliar”, comentou Geraldo Moreira de Menezes, gerente operacional de Vigilância Ambiental da SES.

Com relação ao monitoramento das águas consumidas no Sertão, Geraldo explicou que a qualidade, sua devida análise, compete ao município. Em contrapartida, cabe ao Estado disponibilizar insumos, reagentes e a Secretaria Municipal de Saúde a coleta, em seguida encaminha as amostras para o Lacen ou algum laboratório de referência.

“Quando se dá uma água imprópria nessa análise, os exames são refeitos para ver se permanece com a mesma impropriedade, se há necessidade ou não de uso de nova fórmula química ou sanitária para que essa água venha a ser consumida com qualidade. Em relação à água oferecida via Cagepa, a Companhia faz diariamente as análises”, explicou.

Com relação às doenças ocasionadas pelo Aedes aegypti com queda nas notificações desde o ano passado, o gerente operacional comenta que isso ocorre por vários motivos, tipo atmosférico, mas que com essas chuvas que voltaram a cair no Sertão, torna-se importante a colaboração da sociedade na eliminação de possíveis criadouros do mosquito transmissor da dengue, chikungunya e zika vírus. “Todos são responsáveis pela saúde em casa. Não adianta solicitar o carro fumacê, pois ele não é a solução. A solução é eliminar o foco, as larvas lá onde estão, na água em recipientes diversos”, comentou.