Fale Conosco

28 de julho de 2009

Cooperar renova conselhos municipais para priorizar projetos de comunidades



O Projeto Cooperar deu início esta semana a renovação dos Conselhos Municipais para a priorização dos subprojetos a serem financiados. Nos municípios de Santa Helena, Cachoeira dos Índios, Bom Jesus e Cajazeiras, esses colegiados já estão formados e prontos para discutir suas prioridades. Na segunda-feira (27), a comitiva do Cooperar esteve em Esperança, onde mais sete municípios escolheram seus representantes.

A presença da população em todos os encontros realizados para a escolha do presidente e secretário dos conselhos foi massiva. Em Cajazeiras, onde existem 81 associações comunitárias, quase 100 pessoas lotaram a sala de votação. A equipe do Cooperar conduziu os trabalhos de forma democrática e os participantes puderam, de forma secreta, optar por seus candidatos.

O presidente eleito Francisco Vieira de Carvalho disse ter ficado “muito feliz em poder representar as comunidades do município de Cajazeiras”. Para ele, a volta do governador José Maranhão “renovou as esperanças do pequeno produtor rural que ficou desprezado durante seis anos”.

Ele fez comparações entre as gestões estaduais. “Antes no governo de José Maranhão era uma maravilha; depois que ele saiu foi a maior tragédia do mundo, porque no governo anterior de Maranhão ele trouxe abastecimento de água, passagem molhada, energia elétrica. Ele trouxe 43 obras para Cajazeiras. Durante os seis anos que ele ficou fora só vieram seis. Com volta do Cooperar eu quero ajudar e vou exigir, vou reivindicar, vou pedir por todas as comunidades que confiaram em mim”, falou Francisco Vieira.

O deputado estadual Jeová Campos, também presente ao encontro, considerou a escolha positiva. “É uma etapa vencida. Agora é tentar montar os projetos. O Projeto Cooperar já tem um papel muito importante no apoio às comunidades rurais da Paraíba e esperamos agora que no novo governo Maranhão e sob a gestão de Plácido Pires, ele seja de fato revitalizado. As cidades estão inchando e é preciso dar condições ao homem do campo para que ele goste da roça e fique nela. Ações como essa do Cooperar são de fato um incentivo nessa direção”, afirmou o deputado.

O gestor do Cooperar, Plácido Pires, explicou que a renovação desses conselhos irá facilitar a aprovação dos subprojetos apresentados pelas comunidades quando o empréstimo do Banco Mundial for aprovado. “Nós estamos na expectativa de que esse contrato seja aprovado e assinado a qualquer momento e o nosso objetivo é que quando esse dinheiro chegar tudo já esteja pronto e dessa forma não percamos tempo. Queremos aplicar os recursos no mais curto espaço de tempo e assim beneficiar essas comunidades que tanto precisam”, ressaltou. 

Em Esperança – O Projeto Cooperar conseguiu reunir em Esperança nove municípios e desses sete escolheram os representantes de seus conselhos. Com a maioria representada, Esperança, Remígio, Serra Redonda, Lagoa Seca, São Sebastião de Lagoa de Roça, Aroeiras e Areial também já podem discutir e priorizar os subprojetos a serem encaminhados ao Cooperar.

O deputado estadual Arnaldo Monteiro participou do encontro e elogiou a agilidade do gestor Plácido Pires e de sua equipe. “Em primeiro lugar, eu gostaria de ressaltar a importância da presença do Projeto Cooperar aqui em Esperança e dizer que durante anos essas comunidades ficaram esquecidas, mas com José Maranhão de volta ao governo esse projeto vai voltar a ser o que era antes, quando levou inúmeras obras para o interior do Estado”, destacou.

O conselho – Os conselhos municipais são instâncias colegiadas de natureza deliberativa, instaladas em todos os municípios elegíveis como beneficiários do Projeto Cooperar. As principais funções dos conselhos são selecionar e priorizar as propostas de subprojetos apresentadas pelas associações, interceder junto aos poderes constituídos no sentido de assegurar a fiel execução dos subprojetos comunitários, contribuir para sanar irregularidades por ventura detectadas e comunicar ao Cooperar, orientar e acompanhar o processo de licitação das associações, promover a integração e a complementaridade das ações do Cooperar com outros programas sociais desenvolvidos no município.  

Da Assessoria de Imprensa do Projeto Cooperar