Fale Conosco

2 de março de 2016

Cooperar participa em Brasília de oficina do Banco Mundial sobre políticas de proteção ao meio ambiente



Garantir que as intervenções feitas pela implantação dos projetos financiados pelo Banco Mundial gerem impactos positivos ao homem e ao meio ambiente é a filosofia das Salvaguardas Ambientais e Sociais preconizadas pela instituição financeira, objeto de discussão em oficina realizada nessa terça-feira (1º). A oficina aconteceu na sede do Banco Mundial, em Brasília, com a participação do Governo do Estado, por meio do Cooperar, que será mais uma vez parceiro do banco nos próximos seis anos na Paraíba. A coordenadora das Salvaguardas Ambientais e Sociais do Cooperar, Angela Carolina de Medeiros, participou da oficina como representante da instituição.

As Salvaguardas Ambientais e Sociais englobam valores centrais da instituição e visam garantir que as intervenções apoiadas pelo Banco Mundial tenham um impacto social e ambiental positivo. Elas são à base dos esforços do banco para proteger os indivíduos e o meio ambiente, assegurando a promoção do desenvolvimento de forma sustentável em todos os países onde atua.

Elas buscam promover, ainda, uma plataforma de cooperação entre o Banco Mundial e seus clientes, bem como a participação dos atores sociais na elaboração, implementação e avaliação de projetos sustentáveis.

Dentre os benefícios das novas Salvaguardas Ambientais e Sociais estão a inclusão de um enfoque reforçado à gestão de riscos ambientais e sociais; promoção da harmonização com as políticas de outras agências multilaterais; inserção de novos temas e princípios com a inclusão de grupos vulneráveis, condições dignas de trabalho, consentimento livre, prévio e informado junto aos povos indígenas, orientação de gênero, identidade e expressão sexual (Sogie); mudança climática e poluição, entre outros.

A oficina com o setor público começou às 9h dessa terça-feira com o registro dos participantes e café da manhã. Em seguida, foi realizada oficialmente a abertura pelo diretor do Banco Mundial para o Brasil, Martin Raiser.

Ainda pela manhã foram apresentadas a metodologia de trabalho da oficina e uma visão geral do processo de revisão das políticas de Salvaguardas Ambientais e Sociais, além de discutidas questões levantadas pela diretoria executiva da instituição financeira. Durante o turno da tarde foi ministrado o tema “As Salvaguardas Ambientais e Sociais na prática: estudo de casos”.