João Pessoa
Feed de Notícias

Cooperar garante investimentos de quase R$ 900 mil para agricultores

terça-feira, 4 de dezembro de 2012 - 10:39 - Fotos:  José Marques/Secom-PB

Cerca de 500 agricultores de treze comunidades dos municípios de Bananeiras, Solânea, Alagoa Nova, Riachão, Picuí e Areia vão receber, nesta terça-feira (4), a garantia de um investimento de R$ 880 mil para construção de cisternas, abastecimento d’água simplificado (poço e chafariz) e aquisição de uma câmara de resfriamento para uma unidade de beneficiamento de polpa de frutas. A ação encerra a etapa atual de contratação de convênio do Governo do Estado com o Banco Mundial, por meio do Projeto Cooperar.

Os convênios vão ser assinados na Gerência Regional do Cooperar, em Areia, onde funciona o projeto de beneficiamento de frutas. Trata-se de uma associação que envolve cerca de 30 pessoas da comunidade Chã do Jardim, que trabalha em parceria com a UFPB e a Sudema. Com as assinaturas desta terça-feira, o Cooperar alcança em 2012 o montante de R$ 44,3 milhões aplicados em 449 comunidades, beneficiando diretamente 26 mil famílias de 147 municípios.

Paralelamente ao processo de encerramento do atual contrato com o Banco Mundial, o Cooperar avança no processo de negociação da proposta de novo acordo de empréstimo junto ao banco. O governador Ricardo Coutinho já subscreveu e enviou à diretora de Operações do BIRD para o Brasil, Deborah Wetzel, o objetivo da nova proposta, que tem destaque para a capacitação e avaliação dos impactos na renda e vida dos beneficiários.

A proposta, submetida à apreciação do BIRD, alcança um montante de 68,5 milhões de dólares, sendo US$ 50 milhões desembolsados pelo banco e US$ 18,5 milhões em  contrapartida do Tesouro Estadual e das organizações sociais beneficiadas.  Ao longo de quatro anos, serão 43 mil 890 famílias atendidas, em 1.254 comunidades rurais, que receberão subprojetos integrados de desenvolvimento sustentável, nas áreas de inclusão produtiva, segurança hídrica, sustentabilidade e inovação.

Um dos aspectos fundamentais da proposta é que o cronograma de implementação prioriza os municípios com maior concentração percentual da população em condições de pobreza extrema e capacidade de resposta aos investimentos, em função do potencial em recursos naturais e humanos.