Fale Conosco

16 de março de 2016

Cooperar apresenta PB Rural Sustentável para Fórum das Mulheres de Negócios



O Projeto Cooperar apresentou, nesta terça-feira (15),         o PB Rural Sustentável para o Fórum das Mulheres de Negócios, uma Organização Não Governamental (ONG) criada no ano passado com o objetivo de promover a interação com as mulheres empreendedoras, a fim de melhorar o nível de empoderamento delas. O momento serviu para a troca de experiências entre as beneficiárias do Projeto Cooperar e empreendedoras do fórum, que na ocasião testemunharam os ‘cases’ de sucesso do grupo.

O Workshop sobre Empoderamento Feminino contou ainda com a participação da gerente executiva do Banco do Brasil, Ana Cristina Rosa Garcia, que proferiu palestra para mais de 80 pessoas participantes do evento. Na ocasião, ela disse que as empresas que não investem na ascensão de mulheres tendem a ter menos lucros.

A avicultora de São Sebastião de Lagoa de Roça, Maria Nazaré Barbosa, uma das beneficiárias do Cooperar, preside a Cooperativa Paraibana de Avicultura Alternativa e Agricultura Familiar (Copaf), que recebeu um investimento de quase R$ 1 milhão para a construção da obra do abatedouro, compra de equipamentos, entre outros.

Com os investimentos, a Copaf, que atualmente conta com mais de 150 sócios e nove associações, iniciou a atividade com a produção de 500 frangos caipiras e 14.400 ovos por mês. Hoje, já conquistaram o mercado governamental com a oferta de 32 mil aves e 168 mil ovos mensalmente.

Esperançosa, Nazaré aposta no novo projeto que será executado pelo Cooperar e, em parceria com o Banco Mundial, o PB Rural Sustentável destinará para a população rural pobre paraibana nos próximos seis anos US$ 80 milhões, o equivalente a R$ 320 milhões.

A presidente da Copaf, que também já demonstrou capacidade de gerir negócios na atividade produtiva da avicultura alternativa, mensalmente corre em busca de parceiros para deixar o negócio sustentável. Na sede da cooperativa, implantou com a ajuda do grupo, uma estação de tratamento de água, e já tem em projeto a construção de um biodigestor para fazer o aproveitamento das vísceras das aves destinadas à fabricação de ração.

Com o PB Rural Sustentável, a empreendedora de São Sebastião de Lagoa de Roça vai acessar os recursos das Alianças Produtivas, um tipo de linha de financiamento para financiar obras, bens e serviços, para as organizações de agricultores que serão estimuladas a implantar seu próprio negócio com a garantia de venda da sua produção para o mercado formal e informal, previamente acordado entre vendedor e comprador, seguindo as especificações do mercado (quantidade, qualidade, entrega). Os recursos das Alianças Produtivas acessadas pela Copaf serão destinados para ampliar o estoque de frango caipira, que sairá de 5 mil kg para 20 mil kg com a aquisição de mais três câmaras frias.

Na avaliação de Nazaré, o Workshop sobre Empoderamento Feminino foi uma excelente oportunidade para melhorar a troca de conhecimentos entre elas, elogiando ainda a sensibilidade da atual gestão do Governo do Estado, um olhar diferente e sensível ao público feminino. “Foi um momento excelente e hoje estou avaliando a participação no fórum para alavancar ainda mais os negócios”, lembrou.

Ao fazer a abertura do evento, o secretário executivo do Cooperar, Roberto Vital, destacou que acredita na perspicácia e perseverança das mulheres e ainda lembrou que mais de um terço dos 509 projetos implantados pelo Cooperar nos últimos quatro anos foram fruto de iniciativas do protagonismo feminino, sendo 30 deles liderados por mulheres, que alcançaram melhor nível de gestão no campo. “Estamos muito felizes e o primeiro passo para a execução do PB Rural Sustentável que também será destinado a esse público foi dado”, adiantou.

Ao apresentar a finalidade do Fórum das Mulheres de Negócios, a presidente do grupo e empreendedora Juliana Castro disse que o fórum é uma forma de trocar ideias, aproximar as mulheres para a realização de negócios e formar networking visando os novos desafios para a inserção e consolidação das empresas formadas por elas. Já existe um projeto para a construção do primeiro polo industrial no mundo liderado por mulheres e que deverá ser implantado na Grande João Pessoa, cujos entendimentos com a Cinep já estão sendo mantidos nesse sentido.

“Nós mudamos a realidade através das mudanças de nossas realidades. Nós somos maioria no mundo, mas tratadas ainda como minorias. Precisamos tomar posse do poder que Deus nos deu em gerar a vida, e por isso, devemos ser reconhecidas, também, como um ser especial”, destacou Juliana.

Além das palestras, sorteio de brindes, realização de dinâmicas, debates e troca de experiências, o fórum e o Cooperar organizaram uma feira no hall da sede da instituição que apresentou ao público participante o artesanato indígena, produtos alimentícios naturais, cosméticos, entre outros, como também houve a distribuição de um portfólio com folders, banners e panfletos das empresas associadas à entidade.