Fale Conosco

31 de janeiro de 2014

Construção de barragem subterrânea gera renda e incentiva agricultura familiar



A construção de uma barragem subterrânea no Sítio São Miguel, na zona rural de Massaranduba, possibilitou aumento de renda e incentivo para a produção de agricultores familiares. Com apoio do Governo do Estado, por meio da Emater Paraíba, o agricultor Antônio Benedito da Silva teve acréscimo de 30% na sua renda mensal, depois que passou a utilizar a água do reservatório.

Orientado e assessorado pela Emater Paraíba, ele aproveitou a área na propriedade que antes ficava inutilizada para fazer as melhorias. A construção da barragem foi concluída em julho do ano passado, com um investimento de R$ 2.000. Para realizar a obra, foram utilizados 50 metros de lona e uma retroescavadeira para a escavação da vala.

O local se transformou na área onde Antônio Benedito passou a cultivar sua lavoura, principalmente mandioca, feijão, pimenta, couve-flor, batata doce, jerimum e banana. Tudo é comercializado na feira livre da cidade e em Campina Grande.

O extensionista rural da Emater Rodolffo Barbosa, que acompanha as atividades da família, afirmou que a construção de barragem subterrânea é uma técnica simples e barata e que serve para represar a água que passa a ser usada em épocas de estiagem prolongada. “O local ideal para a construção desse tipo de barragem é em riachos com pouca salinidade e terrenos que possuam uma área plana, onde possa produzir diversos tipos de cultura”, comentou Rodolffo.

O presidente da Emater Paraíba, Giovanni Medeiros informou que as famílias agricultoras assessoradas pelos extensionistas da empresa, são orientadas a construir a barragem subterrânea, uma técnica antiga e simples de convivência com o semiárido, que acumula água no subsolo, evita a evaporação, facilita o plantio de capim e forrageiras para os animais, além do cultivo de milho, feijão e fruteiras. Também terão água, através de cacimbão, para abastecimento.

Depois que participam da construção da barragem, os próprios agricultores repassam as tecnologias aprendidas aos outros agricultores, tornando-se multiplicadores daquilo que aprenderam. A barragem tem permitido a criação de vazante artificial onde a umidade do solo se prolonga por longo tempo. Nestes locais, os agricultores cultivam os plantios tradicionais de grãos (milho e feijão), mas, também, produzem frutas como manga, goiaba, acerola, além de pastagens e capineiras, em plena área de caatinga e sem irrigação convencional.