Fale Conosco

1 de agosto de 2011

Conselho Regional de Enfermagem atesta novo modelo de gerir o Hospital de Trauma em João Pessoa



Após quase 10 anos, o Hospital de Emergência e Trauma Senador Humberto Lucena, em João Pessoa, atende recomendações técnicas do Conselho Regional de Enfermagem da Paraíba (Coren-PB), dentre elas, a legalização dos profissionais que atuam como enfermeiros, técnicos e auxiliares de enfermagem. O presidente do conselho, Gerson da Silva Ribeiro, se reuniu com a direção do Trauma na quinta-feira (26) para discutir o redimensionamento do quadro de pessoal que presta serviço no hospital e comprovou o cumprimento das regras.

Dessa forma, o Trauma-JP vai receber a Certidão de Responsabilidade Técnica (CRT), documento expedido pelo Coren-PB para unidades de saúde que atendem a legislação preconizada para o exercício profissional de enfermeiros, técnicos e auxiliares.

Gerson adiantou que para ter a certificação, a coordenação de enfermagem do Trauma atendeu 10 recomendações técnicas solicitadas em relatório expedido em maio deste ano para resolver questões pendentes, dentre elas a improvisação de leitos, falta de administração de medicamentos por conta do excesso de pacientes, a ausência de enfermeiros na agência transfusional (banco de sangue) em determinados plantões e pessoal da categoria sem inscrição no Coren exercendo a atividade.

Tratamento igualitário – Ele disse que muitos dos erros apontados no relatório vinham desde 2001, mas graças ao empenho das coordenadoras de enfermagem geral e da emergência do Trauma na gestão atual foi possível resolver as pendências. “In loco, pude perceber os avanços em duas visitas recentes que fiz ao hospital na semana passada e nesta terça-feira, já conquistados pela atual diretoria do Trauma, como a melhora no atendimento e o tratamento igualitário a todas as categorias que atuam na unidade”, destacou.

“Não acreditava, nem conhecia pessoalmente esse tipo de gestão em hospitais. Hoje penso totalmente diferente, pois é uma gestão que já estamos vendo os frutos, como a redução do excesso de pacientes, a atuação presencial da direção nos sete dias da semana, fundamental para o funcionamento da ‘máquina’ e a preocupação em contratar leitos de suporte para desafogar o quantitativo de pacientes que não têm o perfil do Trauma-JP”, disse o presidente do Coren-PB.

Outra forma diferenciada de administrar hospitais por essa gestão apontada pelo dirigente do Conselho de Enfermagem é a interação com todas as categorias: “No sistema de parceria iremos colaborar no redimensionamento de pessoal, como enfermeiros, técnicos e auxiliares”, avalia Gerson da Silva Ribeiro.

Para o redimensionamento dessa categoria, o Coren-PB enviará fiscal para levantar o número de leitos, quantidade de profissionais e complexidade de cada paciente. O relatório será entregue nos próximos dias.